Para falar de eventos recomendados no GA4 nós precisamos falar de algumas outras coisas antes. 

Precisamos falar sobre o próprio Google Analytics e a sua grande migração para a sua quarta versão, precisamos falar sobre o que são os eventos, precisamos falar sobre os novos parâmetros de medição, sobre conversões etc. 

Então, esse texto pode tanto facilitar sua vida como dificultá-la. 😅 Mas dificuldades são só mais oportunidades de aprendizado, não é? 

Precisamos falar sobre isso tudo porque as mudanças do Universal Analytics para o Google Analytics 4 vão muito além da superfície. 

Sim sim, o design mudou, a apresentação dos relatórios também, mas essas são as mudanças mais simples que o Google implementou no Analytics. 

O texto de hoje vai dar conta de todos esses pontos. Vou abordar todos esses assuntos, te trazer uma lista completa dos eventos recomendados e ainda trouxe também alguns links para aprofundar mais em alguns pontos mais complexos. 

Ufa! Já iniciamos a conversa bem! Mas e aí, tudo pronto para começar o texto? 

Entendendo as mudanças do Google Analytics 4

O Google Analytics 4 passou por mudanças bem grandes. A migração do UA para o GA4 trouxe principalmente uma grande alteração na forma com que a plataforma mede as interações no seu site.

Vamos falar mais sobre isso no próximo item, mas por agora vamos conversar um pouco mais sobre qual era o foco do Universal Analytics. 

Lembrando: se você está lendo esse texto depois da segunda metade de 2023, a mudança precisa acontecer imediatamente. Sua propriedade no UA já não está captando dados e logo ela será desativada. 

Para saber como fazer sua migração e configuração básica hoje e em 10 minutos, assista o vídeo abaixo do nosso webinar sobre o tema: 

Agora voltando sobre o Universal Analytics: sua maior preocupação sempre esteve na contagem de visitantes e usuários no seu site. 

Ou seja: o UA sempre foi uma ferramenta para acompanhar o tráfego do seu site. Seu design e parâmetros foram pensados para entregar essa informação da forma mais simples e direta possível. 

Para entender as ações que seus visitantes tomavam no site, o profissional de marketing precisava da ajuda do Google Tag Manager. Através do GTM você podia configurar eventos específicos que apareciam no seu relatório. 

Essa última característica foi a mais explorada na migração para o GA4. Agora, os eventos são o principal foco do GA4. 

E agora que estamos com o contexto, vamos falar um pouco mais sobre essa migração: 

Foco em eventos

O GA4 tem foco total em eventos. Ele ainda mostra informações relacionadas ao tráfego, às páginas de destino do seu site, ao tempo de leitura na página etc. 

Mas agora a direção que o Analytics está buscando seguir é o entendimento do que está acontecendo dentro do seu site. O que seus visitantes estão fazendo lá. 

E isso vem expresso na forma de eventos nativos do Analytics. Onde antes você precisava abrir o Google Tag Manager para configurá-los, agora o próprio Analytics te dá todas as ferramentas necessárias, logo na home page, para analisá-los. 

E esses eventos podem ser configurados em relatórios personalizados, que inclusive demonstram com facilidade pontos que eram bem abstratos no UA, como as próprias conversões. 

Isso transporta o GA4 para um patamar diferente: ele não é mais uma ferramenta de consulta, agora ele é uma ferramenta absolutamente estratégica para as suas campanhas. 

Por exemplo: você quer saber quantos usuários clicaram em um anúncio específico de Social Ads ou Google Ads e foram para o seu site. E desses, quantos se tornaram leads.  

Antes, no UA, você teria a primeira informação misturada com todos os outros visitantes do site. Para fazer a diferenciação, a configuração era somente pelo GTM. 

Agora, os eventos que medem essas interações específicas são bem mais simples de criar e acompanhar, tornando os relatórios mais precisos e simples. 

Aliás, o Google Analytics 4 já faz a contagem de alguns eventos automaticamente. Você não precisa configurar nada para medir eventos simples como clique em vídeo, scroll no site e mais alguns outros. 

🤿 Se aprofunde: Eventos do Google Analytics 4: o que são e como configurar

No fim das contas, usuários leigos ainda podem usar o Google Analytics 4 para acompanhar seu tráfego sem maiores problemas. Mas os usuários mais avançados agora têm um apoio extra para entender o que realmente está acontecendo no site. 

Novas métricas

Além dessa mudança na própria estrutura de análise do Google Analytics, o GA4 também trouxe algumas métricas novas pra gente acompanhar. 

Mas também é importante saber que algumas métricas antigas do UA foram descontinuadas: bounce rate, páginas por sessão e média de duração da sessão não estão disponíveis no GA4. 

O fim dessas métricas, porém, vem com a introdução de eventos — inclusive sendo parte dos eventos recomendados no GA4 — que medem não exatamente a mesma coisa, mas vão um pouco além. 

Por exemplo: a média de duração da sessão se torna uma métrica irrelevante quando você está medindo não o tempo da sessão, mas o que os usuários estão fazendo nela. 

O que é mais importante saber: que seu usuário passou 2 minutos lendo o seu site ou que o seu usuário clicou na categoria blog e conteúdo, depois leu um texto, depois voltou para a página principal e se tornou um lead qualificado? 

A justificativa do Google para o fim dessas métricas é justamente essa. E para provar, o fim dessas métricas trouxe outras que combinam mais com o foco nos eventos: 

  • Usuários engajados: demonstra quantos usuários interagiram com o seu site; 
  • Tempo médio de engajamento: é a mesma métrica duração de sessão, mas agora removendo os dados de usuários que não interagiram com o seu site; 
  • Taxa de engajamento: mostra um percentual da quantidade de Usuários engajados em contraste com os usuários não-engajados. Sessões que duram mais de 10 segundos são consideradas como engajadas; 
  • Sessões engajadas por usuário: o quanto um único usuário interage com o seu site ao longo da sua vida útil. 

Veja como o foco está total no engajamento e na interação do usuário no site. E com o apoio dos eventos, mais uma vez temos a prova de que o GA4 é uma plataforma de marketing 360º, absolutamente completa e robusta o suficiente para medir mais do que visitantes. 

O que são os eventos do Google Analytics?

Os eventos do Google Analytics indicam interação entre o usuário e o site sendo analisado. 

Ou seja: tudo o que é possível mensurar agora pode ser através de um evento. Existem quatro categorias principais de eventos no GA4: 

  • Eventos recomendados; 
  • Eventos personalizados; 
  • Eventos coletados automaticamente; 
  • Eventos de medição otimizada. 

Pode ficar tranquilo que ainda nesse texto vamos conversar melhor sobre esses eventos e o que cada um deles representa. 

Cada um desses eventos tem parâmetros diferentes. Esses parâmetros são variações que podem acontecer dentro de um evento. 

Por exemplo: você tem um evento que indica o download de algum material específico na sua página. Aliás, esse evento é parte dos eventos recomendados do GA4, e se chama download_file. 

Mas vamos supor que você tem 50 arquivos disponíveis para download no seu site. Só saber que um arquivo foi baixado não é suficiente — você precisa saber qual arquivo. 

É aí onde entram os parâmetros. Nesse caso, você pode adicionar o parâmetro file_name ao evento download_file para checar quais são os materiais sendo baixados. 

Os eventos, então, indicam interações de forma geral, enquanto os parâmetros vão indicar os pormenores. 

Na teoria, isso é tudo o que você precisa saber sobre os eventos e parâmetros. A prática é um pouco mais complicada, mas com o tempo e bastante estudo você domina o resto! 

E falando em complicar: 

Os eventos precisam ser configurados no GTM?

Sim e não ao mesmo tempo. 🥲

A verdade é que alguns eventos precisam ser configurados via Google Tag Manager, outros não. 

Você só vai conseguir criar Eventos personalizados e até os Eventos recomendados do GA4 através do Google Tag Manager. 

Mas os Eventos coletados automaticamente e de medição otimizada não precisam ser configurados pelo GTM. O próprio Analytics te ajuda nessa tarefa. 

Os Eventos coletados automaticamente já estão em funcionamento assim que você acessa o GA4 pela primeira vez. Mas acaba que eles não oferecem um nível de profundidade muito grande. 

Por exemplo: você quer saber quantas pessoas clicaram em um menu específico no seu site. Isso não é coletado automaticamente, mas é parte dos Eventos recomendados do GA4. 

Portanto, alguns eventos podem até ser medidos sem o GTM, mas outros — os melhores — precisam. 

Se você quer saber como usar o GTM para fazer essas configurações, o Google tem um guia completo bem simples de seguir, mas para usuários avançados do Analytics. Veja logo abaixo: 

➡️ [GA4] Configurar eventos do Google Analytics 4 com o Gerenciador de tags

Quais são as diferenças nos relatórios do GA4?

Mulher olhando para o tablet com expressão pensativa

Toda essa necessidade de guiar o GA4 na direção dos eventos tem um motivo simples: melhorar e aprofundar os relatórios. 

E também garantir uma personalização muito maior do seu trabalho. O UA tinha algumas limitações bem complicadas de lidar, como a necessidade de determinar parâmetros específicos dentro de uma lista para um evento. 

Agora, você pode criar seus próprios eventos e mais do que isso: pode configurar parâmetros personalizados através do Google Tag Manager. 

Tudo isso para que você consiga extrair relatórios altamente personalizados, que não vão ter a “cara do Google”, mas a sua própria. 

Chega um momento na vida de toda empresa com um site para gerar leads e vendas em que a quantidade de usuários — o tráfego do seu site — deixa de ser a informação mais importante sobre ele. 

Você ultrapassa os 10.000 visitantes por mês? Ótimo! Agora é hora de focar seus relatórios em entender não quantos novos usuários você está trazendo, mas sim o que eles estão fazendo no seu site. 

O GA4 está levando os relatórios para esse sentido. Usuários experientes da plataforma podem criar relatórios únicos e extremamente alinhados com os objetivos de negócio e marketing da empresa. 

Vamos nos aprofundar nisso agora. Vem comigo: 

Jornada do usuário

O GA4 permite uma visão muito mais estratégica sobre a jornada que leva o usuário desde o primeiro contato com o site até a venda. 

Isso é diferente da Jornada de Compras e da Jornada do Cliente, mas os conceitos são bastante similares. Aliás, é a aplicação prática desses conceitos sob a visão dos dados. 

Em poucas palavras, a jornada do usuário é a forma de entender como a Jornada de Compras está acontecendo dentro do seu site. 

É o apoio que o Google consegue te dar, através de relatórios personalizados, para entender e teorizar sobre os comportamentos dos seus visitantes e leads. 

O que gera conversão? O que não gera? Quais são os materiais mais desejados do site? Quais são as páginas que os usuários leem e interagem mais? 

Tudo isso em um relatório proporciona muitos dados para a equipe de marketing, que pode então confirmar suas informações e seu trabalho na criação da Jornada. 

Sessões engajadas

Esse é um ponto que mencionei ali em cima, mas é interessante a gente se aprofundar nele também. 

O UA media o engajamento através de uma métrica “negativa”, o bounce rate. Basicamente, o que ele te informava era a quantidade de pessoas que deixam seu site sem interação. 

Essa métrica acaba sendo bastante ineficaz. Você não quer saber sobre quem sai do site, mas sim sobre quem fica no site, certo? 

O GA4 trouxe essa mudança fundamental nos seus relatórios, aposentando o bounce rate e inaugurando quatro métricas diferentes que abordam as sessões engajadas. 

Já falei sobre elas lá em cima, mas vou deixar aqui de novo pra você poder continuar na leitura sem interrupções: 

  • Usuários engajados: demonstra quantos usuários interagiram com o seu site; 
  • Tempo médio de engajamento: é a mesma métrica duração de sessão, mas agora removendo os dados de usuários que não interagiram com o seu site; 
  • Taxa de engajamento: mostra um percentual da quantidade de Usuários engajados em contraste com os usuários não-engajados. Sessões que duram mais de 10 segundos são consideradas como engajadas; 
  • Sessões engajadas por usuário: o quanto um único usuário interage com o seu site ao longo da sua vida útil. 

Definição personalizada de conversão

O UA determinava alguns critérios bem específicos — e bastante estreitos, por sinal — sobre o que poderia ser considerado uma conversão ou não. 

E aí mensurar essas conversões era um trabalho enorme. Você precisava configurá-las no GTM para aí sim conseguir relatórios que mostrassem uma conversão no site para só depois ter acesso no Analytics. 

Bom, essa nem é a parte complicada. Na verdade, você ainda precisa configurar essas conversões no GTM. A diferença é que agora é você quem decide o que é conversão ou não. 

Então, mesmo dando um pouco de trabalho, pelo menos você tem um controle bem maior do que é considerado conversão no seu site ou não. 

Reports cross-device

O UA oferecia algumas informações sobre o acesso do seu site via smartphones ou desktop, mas os dados eram bem esparsos e, no caso de campanhas mais robustas com bastante tags e eventos no GTM, alguns bugs apareciam aqui e ali. 

Isso é coisa do passado no GA4. Agora a precisão é milimétrica e você não vai encontrar nenhum problema na hora de criar relatórios que lidam com campanhas em vários dispositivos diferentes. 

Tracking de ações específicas

Esse item é interessante porque ele revela um pouco mais sobre como o GA4 funciona na prática para eventos personalizados. 

É bem simples: você cria seus eventos e parâmetros pelo GTM, cria uma tag para o seu site no GTM e começa a fazer o tracking dos dados, que são enviados para o Google Analytics. 

É só isso. Ao longo do texto os leitores iniciantes devem estar a ponto de arrancar os cabelos, mas de verdade: é bem mais simples do que parece. 

No UA, você também precisava fazer a mesma coisa, mas os eventos eram absolutamente limitados. Agora, no GA4, você pode fazer o tracking do que você quiser no seu site, desde que o Google entenda isso como uma interação. 

Por exemplo: você pode criar uma CTA com três botões diferentes e acompanhar os cliques em cada um desses botões.

A personalização aliada da simplificação do processo de personalizar é a principal marca do GA4, e seu maior princípio de design. 

Panorama de Geração de Leads no Brasil 2023 - Leadster

Quais são os tipos de eventos do GA4?

Bom, agora conversamos bastante sobre o que tem de novo no GA4 e suas principais diferenças em relação ao UA, certo? 

Queria fazer um rápido adendo aqui pra gente conversar sobre os tipos de eventos do GA4, buscando entender quais são eles pra gente conseguir conversar melhor sobre os eventos recomendados. 

Não vai te tomar muito tempo, prometo. Se você já sabe quais eles são, pode pular que no próximo tópico já vamos conversar sobre os Eventos recomendados do GA4 com mais profundidade, ok?

Então vamos lá: 

Eventos Recomendados

São eventos já prontos e recomendados pelo Google para três tipos de funcionalidades principais: 

  • Eventos para e-commerce;
  • Eventos para jogos; 
  • Eventos para todas as propriedades. 

Os nomes são bastante claros nesse caso, não é? Os eventos recomendados para e-commerce foram criados com base nas interações e necessidades mais comuns de um varejo online. 

O para jogos é a mesma coisa, mas agora pensando nos jogos para Android , iOS e browser, além dos seus anúncios neles. 

Os eventos para todas as propriedades são diferentes porque eles são os recomendados para qualquer site, sem nenhum caso de uso específico. 

Esses eventos não são criados automaticamente, sendo necessário criá-los via GTM para que o tracking possa aparecer no relatório.  

Logo abaixo vamos detalhar todos eles.

Eventos personalizados

São eventos que você cria, nomeia e parametriza, de acordo com necessidades específicas do seu site. 

Pode ser que o evento que você quer analisar nos seus relatórios não esteja na lista dos Eventos recomendados do GA4. Nesse caso, é necessário criar um personalizado. 

Algumas conversões já são parte ou dos Eventos recomendados ou dos Eventos coletados automaticamente, mas conversões mais específicas acabam tendo que ser personalizadas. 

Os Eventos personalizados devem ser configurados diretamente via GTM. 

Eventos coletados automaticamente

São eventos que já estão configurados e estão captando dados dos seus visitantes nesse exato momento! 

Eles ficam disponíveis nos relatórios do GA4 assim que você o ativa e configura. São eventos simples, mas que ajudam bastante profissionais iniciantes a ter uma visão mais completa do que o GA4 consegue oferecer. 

Eventos de medição otimizada

São eventos mais aprofundados que os eventos coletados automaticamente. 

Não é necessário fazer nenhuma alteração no código do seu site, apenas habilitar a medição otimizada direto na interface do Google Analytics. 

Veja um passo a passo simples logo abaixo: 

  • Entre no Google Analytics;
  • Clique em Administrador; 
  • Procure pela coluna Propriedades; 
  • Clique em Fluxos de dados > Web; 
  • Deslize a chave “Medição otimizada” para Ativado. 

Quais são os eventos recomendados no GA4?

Bom, conversamos e conversamos pra chegar no ponto final aqui do texto: quais são de fato os eventos recomendados do Google Analytics 4? 

Essa é uma pergunta bem simples de responder: o próprio Google nos entrega uma lista bem contundente de todos os eventos recomendados do GA4. 

Até agora já conversamos bastante sobre o que são eventos, o que são parâmetros e o que são os eventos recomendados. Mas precisamos conversar também sobre quais são esses eventos só pra gente fechar o texto com chave de ouro. 

Mas antes, caso você queira uma explicação ainda mais aprofundada sobre o que eles são para acompanhar junto com a lista, esse vídeo logo abaixo vai te ajudar bastante: 

O vídeo é um corte do nosso Webinar sobre o Google Analytics 4 que fizemos com o Renan Silvestre, especialista em Marketing Analytics. Acesse o conteúdo completo clicando aqui. 

Continuando, vamos lá? 

Eventos recomendados para e-commerce

Como conversamos, esses são os eventos voltados inteiramente para a realidade do e-commerce. 

Veja a lista completa logo abaixo: 

  • add_payment_info: envia as informações de pagamento ao final da compra;
  • add_shipping_info: envia as informações de frete durante a finalização da compra
  • add_to_cart: adiciona itens ao carrinho de compras
  • add_to_wishlist: adiciona itens à lista de desejos
  • begin_checkout: inicia a finalização da compra
  • purchase: conclui uma compra
  • refund: recebe um reembolso
  • remove_from_cart: remove os itens do carrinho de compras
  • select_item: seleciona um item de uma lista de itens ou ofertas
  • select_promotion: seleciona uma promoção
  • view_cart: visualiza o carrinho de compras
  • view_item: visualiza um item
  • view_item_list: visualiza uma lista de itens ou ofertas
  • view_promotion: visualiza uma promoção em seu site ou app

Eventos recomendados para jogos

Aqui entram os eventos relacionados à interação dos usuários com jogos ou anúncios dentro de jogos que você configura via Google Ads. 

Veja a lista completa: 

  • earn_virtual_currency: ganha moeda virtual (moedas, pedras preciosas, tokens)
  • join_group: entra em um grupo
  • level_end: conclui uma fase em um jogo
  • level_start: começa uma nova fase em um jogo
  • level_up: sobe de nível no jogo
  • post_score: publica a pontuação
  • select_content: seleciona conteúdo
  • spend_virtual_currency: gasta moeda virtual (moedas, pedras preciosas, token)
  • tutorial_begin: inicia um tutorial durante um processo de integração
  • tutorial_complete: conclui um tutorial durante um processo de integração
  • unlock_achievement: desbloqueia uma conquista

Para todas as propriedades

Esses são os eventos para qualquer site, sem nenhum evento específico. 

Veja a lista completa: 

  • ad_impression: vê um anúncio, somente para apps
  • earn_virtual_currency: ganha moeda virtual (moedas, pedras preciosas, tokens)
  • generate_lead: envia um formulário ou solicita informações
  • join_group: entra em um grupo
  • login: faz login
  • purchase: conclui uma compra
  • refund: recebe um reembolso
  • search: pesquisa seu site ou app
  • select_content: seleciona conteúdo no seu site ou app
  • share: compartilha conteúdo do seu site ou app
  • sign_up: cria uma conta em seu site ou app
  • spend_virtual_currency: gasta moeda virtual (moedas, pedras preciosas, tokens)
  • tutorial_begin: inicia um tutorial durante um processo de integração
  • tutorial_complete: conclui um tutorial durante um processo de integração

E aí, consegui tirar sua dúvida sobre os Eventos recomendados do GA4? Espero que sim! 

Nosso webinar que linkamos ao longo do texto traz muita informação sobre essa nova fase do Analytics. Vale muito a pena assistir para saber o que fazer tanto na hora da migração como na hora de configurar seus relatórios. 

E lembrando que tudo isso que o Google está fazendo é uma adequação ao mercado. As outras versões do GA, desde a primeira até o UA, acompanharam a transição do marketing de “gerar visitantes” para “gerar leads e vendas”. 

Claro que gerar leads sempre foi uma preocupação enorme do marketing digital, mas conforme nossas táticas e metodologias vão evoluindo, nossos relatórios também precisam acompanhar. 

Esse texto trouxe vários parâmetros, eventos e um passo a passo completo, mas conseguimos nos aprofundar ainda mais no nosso material sobre as configurações avançadas do GA4. 

Ele é grátis e você já pode baixar hoje. É só clicar no banner abaixo. Vou ficar te esperando, ok? Um abraço! 

Categorias: Marketing digital

Gustavo Luby

CMO da Leadster, há 6 anos empreendendo no setor de tecnologia, apaixonado por CRO, Growth Hacking e Mídia paga.

0 comentário

Deixe um comentário

Avatar placeholder

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *