Dragão

Você é capaz de enfrentar os desafíos de marketing de 2024?

Jogar Agora

Mídia Paga:O Guia Completo

O que é, Quando Investir e Como Obter Resultados?

VAMOS LÁ!

Os anúncios na internet tornaram o marketing acessível para milhões de pequenos e médios negócios.

Se você quer entender sobre mídia paga e descobrir como otimizar seus resultados com anúncios online, esse guia é para você.

  1. O que é mídia paga?
  2. Quando investir em mídia paga?
  3. Quais são as mídias pagas mais comuns?
  4. Quais são as vantagens da mídia paga?
  5. Quais são as desvantagens da mídia paga?
  6. Quanto custa anunciar na internet?
  7. Como fazer mídia paga passo a passo?
  8. Quais são as principais métricas de mídia paga?
  9. Tendências no mercado de mídia paga
  10. Glossário de Mídia Paga

No Brasil, o investimento em mídia paga deve chegar a 14,89 bilhões de dólares até o fim de 2022. Mundialmente, os gastos já ultrapassam 500 bilhões por ano!

Grande parte dos pequenos negócios estão investindo cerca de 7-12% de sua receita em mídia paga, o que significa que existe uma oportunidade aqui para crescer a sua marca.

Mas vamos começar do começo…

O que é Mídia Paga?

Mídia paga é a estratégia de compra de anúncios online usada para promover uma marca, produto ou serviço, com os principais objetivos de gerar visibilidade, engajamento, leads ou vendas.

Mídia paga, orgânica e própria

Mídia paga

Você compra a inserção de sua marca em plataformas de terceiros, como Google, Facebook, Linkedin etc.

Mídia orgânica

Você recebe visibilidade por meio de estratégias de SEO, parcerias com outras empresas e indicação de clientes.

Mídia própria

Você constrói uma audiência e detém o controle sobre o que é publicado em canais como o seu site, blog e perfis em redes sociais.

Onde a mídia paga se encaixa na estratégia de marketing digital?

No marketing digital, podemos explorar diversas estratégias de branding, aquisição de leads ou clientes, através de redes sociais, e-mail, busca orgânica, referência, tráfego direto e, é claro, mídia paga.

Dica:

Melhorando a conversão do site, você reduz o custo da mídia paga, gerando mais leads com o mesmo investimento.

Veja como a Leadster transforma visitantes em leads qualificados:

Quando investir em mídia paga?

1. Para gerar tráfego para o seu site

A mídia paga é uma excelente estratégia para acelerar a geração de tráfego.

Em comparação com estratégias como SEO (que podem levar meses, ou até anos para entregar resultado), a mídia paga pode entregar o tráfego e a visibilidade que você precisa em questão de dias, ou até mesmo de horas.

2. Para gerar leads

Por meio do tráfego, a mídia paga leva leads qualificados para o seu site.

Algumas plataformas como Facebook e LinkedIn permitem que você faça anúncios de captação de leads mesmo sem ter um site ou landing page.

Esse tipo de anúncio é chamado Lead Ads.

3. Para estabelecer awareness

Anunciar com mídia paga permite que você atinja um público totalmente novo, que nunca interagiu com sua marca.

Com a segmentação certa, você pode tornar sua empresa conhecida para fechar novos negócios de forma mais rápida.

4. Para impactar novamente usuários que já compraram ou tiveram contato com a marca

Sabe quando você acessa um site e depois parece que aquela marca está te perseguindo em todas as redes sociais? Essa estratégia é chamada de remarketing .

Convenhamos… é muito mais fácil vender para quem já conhece o seu negócio do que conquistar um novo lead do zero.

Inclua o remarketing na sua estratégia de mídia paga

Crie anúncios somente para pessoas que acessaram o preço do seu serviço e ficaram mais de 30 segundos na página.

Crie anúncios para pessoas que acessaram mais de 5 páginas no site.

Crie anúncios para pessoas que acessaram a página inicial, mas não continuaram navegando.

Crie anúncios para pessoas que já fizeram compras com a sua empresa anteriormente.

Dica:

A partir do remarketing, o usuário sente que aquele anúncio foi feito especialmente para ele.

Quer criar uma experiência ainda mais personalizada no seu site? Conheça o chatbot da Leadster:

Quais são as mídias pagas mais comuns?

Redes Sociais

Grande parte das redes sociais oferecem formas para que as marcas possam criar e patrocinar conteúdos, para atingir os milhões de usuários que as utilizam.

Ao escolher anunciar em redes sociais você precisa ter em mente um grande desafio: atrair a atenção de usuários que não estavam ativamente procurando por sua empresa ou solução.

Confira as principais opções de mídia paga disponíveis em redes sociais:

A Meta é detentora de duas das maiores redes sociais quando falamos em número de usuários e de publicidade online: o Facebook e o Instagram.

Anunciar nesses canais é a estratégia perfeita quando você quer atingir um alto volume de pessoas por um custo mais baixo.

A mídia paga nessas plataformas também funciona muito bem quando você tem um público-alvo muito amplo e seu produto ou serviço possui um ticket médio baixo.

O LinkedIn é a rede mais indicada quando você tem um público específico, já que essa é a mídia paga que possui as melhores opções de segmentações.

O canal é a escolha ideal para quem quer atingir o público B2B, já que permite a segmentação do público através de critérios como: função, título, nível de experiência, indústria e tamanho de empresa, por exemplo.

Essa plataforma de anúncios também funciona muito bem para produtos e serviços com ticket médio mais alto, pois o custo por clique na plataforma chega a ser 5x mais caro que o Facebook Ads, por exemplo.

O Twitter é uma boa opção para marcas que têm uma maior agilidade, além de ser uma ferramenta barata, com grande alcance de usuários e altas chances de conversão — se o seu público estiver por lá.

O diferencial do TikTok é o alto nível de interatividade dos usuários da plataforma e o crescimento exponencial da plataforma nos últimos anos.

De acordo com o ranking Global 500, da Brand Finance, o TikTok cresceu 215% apenas em 2021, e o seu valor subiu de US$18,7 bilhões para US$59 bilhões.

Através do Pinterest Ads você pode criar anúncios em formato de pin patrocinado. Nessa plataforma, o principal uso que vemos é de remarketing e divulgação de produtos B2C.

Buscadores

Nos buscadores (como Google, Bing etc), a intenção de busca é ativa. Isso significa que os anúncios são exibidos no momento em que o usuário está buscando por um termo relacionado à sua marca ou ao serviço que você oferece.

Conheça os principais buscadores onde você pode anunciar:

No Google Ads, você pode escolher e comprar palavras-chaves para montar uma estratégia que aproveita as dúvidas e intenções dos usuários.

Essa é a estratégia perfeita quando seu produto ou serviço possui um alto volume de buscas. Por outro lado, o principal desafio é a concorrência, que acaba elevando os custos por clique.

Ao contrário das redes sociais, esse canal traz um tráfego que possui intenção, ou seja: as pessoas impactadas pelo anúncio estavam ativamente buscando por uma solução. Isso faz com que, em geral, o canal apresente melhores taxas de conversão para vendas.

O YouTube, por sua vez, possibilita trabalhar com busca de palavras-chave e incluir anúncios de rede de pesquisa também na plataforma de vídeos.

Apesar de ser um canal do tipo buscador, o uso dos visitantes se assemelha às redes sociais, quando nem sempre os anúncios são veiculados para quem ativamente está procurando por uma solução logo de cara.

Essa opção é boa para marcas que possuem um público-alvo muito grande, para awareness. Tem custo baixo, porém a segmentação acaba não sendo tão específica.

O Bing, plataforma de busca da Microsoft, apesar de contar com um número menor de usuários do que o Google, também possibilita o anúncio através da rede de busca.

Assim como a concorrente, os anúncios de pesquisa podem aparecer tanto no próprio Bing como no e-mail dos usuários da plataforma, o Outlook.

Bing Ads e Yahoo Ads fazem parte da mesma plataforma de anúncios, a Microsoft Advertising. Da mesma forma que Bing e Google, os anúncios se concentram no buscador do Yahoo, além de opções para impactar os usuários desse serviço de e-mail.

Como conta com um número menor de usuários, a concorrência e os valores para anunciar são mais baixos.

Outras Plataformas

Nem só de Google e Facebook Ads vive a mídia paga. Descubra outros canais e plataformas onde é possível divulgar a sua marca:

A Amazon é o maior marketplace da atualidade e você também pode atrair tráfego anunciando por lá. Não é preciso ter uma conta de vendedor na Amazon para isso, são serviços independentes.

Os anúncios podem ser em formato de vídeos, gráficos, banners e pesquisas. Eles são disponibilizados para o público segmentado e atingem consumidores que ativamente estão buscando por uma solução, mais próximos da decisão de compras.

O marketing de influência também é uma forma de trabalhar com mídia online, atingir um público fiel, engajado e segmentado, que tende a confiar mais na publicidade se essa estiver conectada a um perfil que admiram e seguem.

Outra alternativa para explorar a rede de display é a mídia programática.

Neste tipo de canal, os anúncios são disputados em um leilão em tempo real e distribuídos em sites e páginas pela internet, sem que seja necessário o contato com cada um desses espaços individualmente.

Quais são as vantagens da mídia paga?

1. Retorno mais rápido

Se você quer resultados para ONTEM, a mídia paga com certeza é a melhor opção.

Aqui na Leadster, atingimos 10 mil usuários em nosso site em menos de 1 mês com a mídia paga. Levamos 1 ano para atingir esse mesmo volume de acessos com estratégias de conteúdo e SEO.

2. Mais controle sobre a segmentação

A segmentação é um dos grandes trunfos da mídia paga. Ao contrário das estratégias orgânicas, você tem controle sobre quem vai receber os seus anúncios.

Selecionando os usuários de acordo com diferentes regiões, faixas etárias, profissões, interesses, hábitos de consumo e de navegação, você pode atingir um nicho muito específico para o seu negócio.

3. Resultados altamente mensuráveis

Na mídia paga, as métricas podem ser facilmente configuradas e visualizadas nas plataformas, e você pode fazer o acompanhamento das suas campanhas com base em dados. Dessa forma, você está no controle para tomar as melhores decisões.

4. Possibilidade de acelerar crescimento

Se uma estratégia de anúncios está funcionando, você pode estar constantemente aumentando o investimento e escalando seus resultados. O importante é manter o Retorno Sobre Investimento (ROI) positivo - o que pode ser acompanhado muito facilmente com a mídia paga.

Dica:

A mídia paga pode ser uma estratégia muito vantajosa para sua marca mas certifique-se de ter uma boa experiência.

Saiba como a Leadster ajuda a garantir uma melhor experiência de conversão em mais de 2000 websites:

Quais são as desvantagens da mídia paga?

1. Sem dinheiro, sem resultados

A mídia paga é excelente a curto prazo, pois gera resultados instantâneos de tráfego e leads para seu site. Porém, no momento em que você para de investir, seus resultados acabam.

Dinheiro é o motor de crescimento dessa estratégia. Quando esse motor para de funcionar, os resultados voltam à estaca zero. Com uma estratégia exclusivamente focada em mídia paga, você não está construindo nada que te trará retorno a longo prazo.

2. Você fica à mercê das grandes plataformas digitais

Apesar das plataformas como Google e Facebook quererem ajudar os anunciantes a ter mais resultados, eles se preocupam muito mais com a experiência de seus usuários. Eles ditam as regras do jogo e estão constantemente atualizando suas opções de anúncios, segmentações, políticas, etc.

Se você levou 3 meses para atingir uma estratégia que funciona muito bem nessas plataformas, não existe nenhuma garantia que ela funcionará por mais 1 ou 2 anos.

Tudo muda rapidamente no cenário de mídia paga. Então, além de dinheiro, é necessário um grande investimento de tempo para monitorar seu desempenho, realizar ajustes e renovar sua estratégia.

3. LGPD, Atualizações de plataformas

Existem cada vez mais regulamentações no mundo online. Alguns exemplos são a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) e a recente atualização de cookies do iOS 14, que causou perdas gigantescas de dados e que impactam diretamente nos anúncios do Facebook Ads.

Com limitações de dados como essas, as plataformas perdem força e inteligência estratégica. Assim, os anunciantes pagam mais caro e conseguem menos resultados.

A mídia paga é frágil. Reforçamos o ponto de que ela é uma ação a curto prazo, pois toda a segmentação e estratégia que funciona hoje pode deixar de funcionar no próximo mês.

Quanto custa anunciar na internet?

O investimento nas campanhas de mídia paga pode variar muito. Fatores como os objetivos, abrangência da marca, público, canais escolhidos e número de campanhas interferem no orçamento.

A recomendação do nosso especialista em mídia paga é a seguinte:

"Recomendo que seja investido um mínimo de mil reais por canal escolhido ou cinco mil total distribuído entre os canais, para iniciar.

Outra dica importante é não diminuir o investimento nem pausar campanhas, pois isso dificulta o aprendizado dos algoritmos das plataformas.

É melhor começar com pouco, se a segurança para investir mais alto é o problema, e ir aumentando conforme os resultados forem aparecendo

Assim, você pode validar a escolha de canais, públicos selecionados e as próprias campanhas criadas."

Gustavo Luby - CMO da Leadster

Como fazer mídia paga passo a passo?

1. Definir objetivos

A primeira etapa de qualquer planejamento é a definição de objetivos. Seu objetivo com a mídia paga pode ser desde gerar leads até criar uma estratégia de branding para tornar sua marca mais conhecida.

2. Fazer Benchmark

Pesquise o que seus concorrentes diretos e indiretos estão criando na mídia paga. Ao investigar o que está acontecendo no seu segmento, você pode encontrar referências do que fazer (e do que não fazer). Não se prenda apenas aos anúncios, mas observe também os canais utilizados, páginas de destino, textos, ofertas, etc.

Para isso, você pode explorar ferramentas como a Biblioteca de Anúncios do Facebook, SEM Rush e Similar Web. No Panorama de Geração de Leads no Brasil, você também encontra diversos índices e métricas de diferentes segmentos para fazer seu benchmark.

3. Definir Orçamento

A mídia online tem a vantagem de que você pode determinar e alterar os investimentos, mesmo com as campanhas já no ar. Uma boa opção para quem está começando é fazer pequenos investimentos e testes. Assim, você pode aumentar o orçamento nos canais e anúncios que funcionam melhor com seu público.

Tenha em mente que seu orçamento pode limitar suas escolhas de canais. Digamos que você tem R$1000 para investir em mídia paga. Existem canais em que, com esse valor, você pode atingir bons resultados. Já em outros mais caros (como LinkedIn), essa verba pode não ser suficiente para atingir seus objetivos.

4. Definir o direcionamento dos anúncios

Depois de clicar nos seus anúncios, para onde o público será direcionado? Ele pode ser levado para seu site, WhatsApp, Instagram, Chatbot, Telefone, entre vários outros canais. Você também pode coletar seus dados sem retirá-lo da plataforma, com uma estratégia de Lead Ads.

5. Selecionar canais

Os principais canais de mídia paga utilizados hoje no Brasil são o Google Ads, Meta Ads (Facebook e Instagram), Youtube Ads e LinkedIn Ads. No Panorama de Geração de Leads você confere dados mais completos sobre cada um deles.

Recomendamos focar em poucos canais, principalmente se tem um baixo conhecimento ou baixo orçamento disponível. Melhor aprofundar os conhecimentos nos canais que têm mais a ver com a sua persona e criar campanhas bem sucedidas lá, do que tentar abraçar o mundo só para estar presente em todos os canais.

6. Definir públicos/segmentações

Dentro das plataformas escolhidas, você irá definir a segmentação das suas campanhas. Ela precisa estar alinhada com as personas da sua marca e com o estágio do funil de vendas para qual o anúncio foi criado.

Você pode ter públicos e campanhas para diferentes momentos do funil, que também terão imagens, textos e ofertas diferentes, pensando na necessidade de cada um deles.

7. Definir posicionamentos

Dentro da maior parte das plataformas existem opções de formatos e posicionamento dos anúncios, o que também pode ter custo e alcance diferentes entre o seu público. Entenda o que melhor destaca a sua solução e também faça testes nesse estágio da campanha.

8. Definir criativos e copys

Chegou o momento de criar os textos e elementos visuais da sua campanha. Qual será a sua oferta principal? De que forma você irá transmitir essa mensagem? Que cara terá o seu anúncio?

Para quem está começando, é interessante acessar os guias de cada plataforma para entender os formatos e limitações de cada tipo de anúncio, além de buscar por referências. Sugerimos que você continue sua leitura com esses posts abaixo:

9. Acompanhar KPIs

Para acompanhar os resultados e o sucesso das suas estratégias de mídia paga, você precisa monitorar constantemente os KPIs e métricas mais relevantes.

Eles vão trazer insights e aprendizados, principalmente para quem ainda não tem muita experiência, além de possibilitar o acompanhamento dos investimentos e direcionar a tomada de decisão.

10. Otimizar

Quanto melhor a sua taxa de conversão, melhores são os seus resultados e melhores são as estratégias que você está aplicando para chegar até eles. Por isso, mesmo se as suas campanhas tiverem bons resultados, você sempre deve procurar pontos que podem ser otimizados.

Para esse propósito de otimização existe a estratégia CRO ou Conversion Rate Optimization, que propõe levantar hipóteses de melhoria e realizar testes para melhorar as taxas de conversão, aumentar os resultados e, consequentemente, as vendas.

Quais são as principais métricas de Mídia Paga?

CTR

Click Through Rate ou a Taxa de Cliques é a métrica que mostra a razão entre os cliques e as impressões dos anúncios. Quanto maior o CTR, melhor o desempenho do seu anúncio.

CPC

O Custo Por Clique ajuda a entender a efetividade dos seus anúncios e segmentações, já que nas campanhas de keywords do Google Ads, por exemplo, você paga cada vez que um usuário clica no anúncio.

CPA / CPL

Custo por Aquisição e Custo por Lead estão entre as melhores métricas de mídia paga para identificar o valor de investimento de acordo com o objetivo selecionado na campanha.

Alcance x Frequência

A relação entre o Alcance e a Frequência mostra quantas vezes os anúncios apareceram para um mesmo usuário. Essa relação é importante porque nem sempre um usuário converte na primeira vez que tem contato com o anúncio.

Outras métricas para acompanhar na mídia paga são CAC (Custo de Aquisição de Clientes), ROAS (Return on Advertising Spend, ou Retorno sobre investimento em anúncios) e as taxas de conversão em seus anúncios, páginas e estratégias de marketing.

Tendências no mercado de mídia paga

Todos são concorrentes, mesmo empresas de segmentos diferentes

A mídia paga funciona através de um leilão: ganha destaque quem paga mais.

Digamos que você tem uma imobiliária e quer anunciar para pessoas que moram em São Paulo. Porém essa mesma pessoa que está interessada em comprar um imóvel também é fã de cerveja artesanal, buscou um tênis para comprar na internet e está pesquisando preços de ovos de páscoa, pois digamos que estamos nesse período sazonal.

Sendo assim, o seu anúncio está competindo com:

  • Todas as marcas de cerveja artesanais que anunciam online;
  • O remarketing do site do tênis que ela acessou;
  • E também com inúmeras lojas realizando campanhas de páscoa.

Ou seja: estamos em uma guerra de atenção!

Quanto mais pessoas interessadas em comprar, maior o preço. Por isso fica mais caro anunciar em épocas sazonais, como o Natal ou a Black Friday.

Aumento da competição

Além do crescimento natural das mídias online e da competição de diferentes marcas pela atenção do consumidor, a pandemia levou ainda mais negócios para o digital. Isso resultou em preços mais elevados e uma disputa para chamar atenção desses usuários.

Dessensibilização do usuário

Hoje, o usuário é mais desatento, navega com mil abas abertas ao mesmo tempo - isso quando não utiliza mais de um dispositivo no mesmo momento. Isso implica em uma menor janela de atenção e consumidores cada vez mais desconfiados das marcas e da publicidade. Assim se torna mais difícil impactar o público desejado por meio de anúncios.

Mídia paga cada vez mais cara e menos efetiva

O cenário de mídia paga vem mudando. Questões de privacidade, LGPD, Cookies, perda e regulamentação de dados tornam os anúncios cada vez mais caros, o que não significa uma maior efetividade.

Segundo matéria publicada no Valor Econômico, em dezembro de 2021, anunciar na internet estava 80% mais caro do que em janeiro do mesmo ano, chegando a 100% em datas mais competitivas, como Black Friday e Natal.

Esse cenário impulsiona estratégias cada vez mais completas e o uso de outros recursos, como investimentos em SEO e CRO.

Otimização de conversão também faz parte da estratégia

As empresas precisam aproveitar ao máximo a atenção conquistada, seja através dos acessos pagos ou orgânicos ao site, fazendo com que um maior número de visitantes se torne lead. E essa conta só fecha com um fator determinante: o aumento na taxa de conversão.

É necessário estar constantemente otimizando e acompanhando resultados, e uma estratégia de CRO pode te ajudar a fazer mais, com o mesmo investimento em mídia paga.

Mais tráfego... mais conversões?

Levar visitantes até o seu site nem sempre significa que as vendas irão aumentar. É preciso investir em uma boa experiência de conversão.

Transforme seus visitantes em leads utilizando o chatbot da Leadster

Glossário

Alcance: número de pessoas que são ou podem ser impactadas com aquele conteúdo, seja ele orgânico ou patrocinado.

Bounce Rate: a Taxa de Rejeição acompanha o número de visitantes de uma página que saem sem efetuar nenhuma ação ou sem dar continuidade na navegação. Essa não é uma métrica da campanha, mas é relevante para entender se o público está interessado na página de destino dos anúncios.

CAC: Custo de Aquisição de Clientes. É calculado através da soma dos investimentos dividido pela quantidade de clientes conquistados no mesmo período de tempo.

Cliques: o número de usuários que clicou no seu anúncio. Sozinha, essa métrica não nos fornece muita informação relevante. Por este motivo, ela deve ser analisada de acordo com outros indicadores.

CPA: Custo por Aquisição. É calculado pela divisão do valor de investimento na campanha / número de aquisições.

CPC: Custo Por Clique auxilia a entender o retorno sobre a campanha, já que você pode configurar uma campanha para pagar cada vez que o usuário da plataforma clica no anúncio criado.

CPL: Custo por Lead é o valor investido para a captação de cada lead.

Criativo: arte dos anúncios criados para plataformas de mídia paga.

CTR: Click Through Rate ou Taxa de Cliques. É a métrica que mostra a razão entre os cliques e as impressões da campanha ou anúncio.

Engajamento: interação dos usuários com um determinado conteúdo. Esse engajamento pode acontecer através de likes, comentários, compartilhamentos e cliques.

Frequência: a frequência com que os anúncios apareceram para um mesmo usuário.

Geração de Leads: o ato de captar dados dos usuários, ou seja, tornar visitantes em contatos da empresa.

Impressões: o número de impressões de uma campanha representa a quantidade de vezes que um anúncio foi exibido para os usuários da plataforma em que ela foi veiculada.

Posição Média: aplicada apenas para anúncios de Google Ads, esse indicador mostra a posição média do anúncio nos tipos de leilão. A posição média também pode ser um indicador que aparece relacionado às estratégias de busca orgânica, quando mostra o ranqueamento médio de um site ou página em relação aos resultados das pesquisas realizadas no Google.

ROAS: Return on Advertising Spend ou Retorno Sobre Investimento em Anúncios. Mede o faturamento obtido através de campanhas de mídia paga, sejam essas online ou offline.

ROI: Return on Investment ou ainda Retorno Sobre o Investimento é um dos KPIs de vendas e marketing mais importantes para a empresa e merece sua atenção e monitoramento constante. Isso porque o ROI calcula quanto dinheiro a empresa ganha ou perde com os investimentos feitos em cada estratégia.

Seguidores: são aqueles usuários que acompanham as páginas de uma marca.

Taxa de Conversão: é a porcentagem entre o número de visitantes das suas páginas e o número de pessoas que de fato converte. A conversão esperada pode ser desde ganhar novos seguidores até fechar uma venda, ela depende dos seus objetivos com cada campanha.

Taxa de Impressão: Taxa de Impressão ou Impression Share é uma métrica mais antiga de mídia paga e funciona para entender o quanto um anúncio tem potencial de crescimento, já que faz uma relação entre a audiência total da plataforma e o número de impressões.

Usando Formulários
150 Leads
Chorando
Usando Whatsapp
230 Leads
Confuso
Aumentar minhas conversões com Leadster
450 Leads
Amando
Leadster
14 dias grátis

Teste a Leadster gratuitamente por 14 dias

Fácil criação e ativação

Top 10 apps mais usados Rd Station
Não é necessário cartão de crédito

Não é necessário cartão de crédito |

4.9/5 média de satisfação

4.9/5 - Média de Satisfação