Tráfego Pago e Orgânico: Qual Gera Mais Resultado?

Publicado por Gustavo Luby em

Uma pesquisa realizada pela BrightEdge descobriu que 68% de todo o tráfego de buscas rastreável é proveniente do tráfego pago e orgânico. Pensando nisso, nossas perguntas são: Você sabe diferenciar um do outro? Saberia escolher qual utilizar em uma estratégia de marketing?

Em linhas gerais, ambos os tráfegos se referem à maneira como seus clientes em potencial encontram a página da sua empresa ao pesquisarem produtos ou serviços semelhantes nos motores de busca (como o Google, ou o Bing). 

Como mostraremos, é importante entender bem a diferença entre resultados pagos e orgânicos para garantir melhores resultados. Então, invista alguns minutos na leitura deste artigo. 

O que é tráfego pago?

Tráfego pago significa investir em anúncios em plataformas específicas a fim de atrair visitantes para um site, loja ou perfil. Mais adiante abordaremos quais plataformas são essas, mas por enquanto iremos focar no conceito.

Outros termos utilizados para se referir ao tráfego pago são SEM (Search Engine Marketing) e PPC (Pay Per Click). 

Sua principal premissa é a de oferecer aos donos de sites (que nesse caso são os anunciantes) a oportunidade de pagar uma taxa para que a página em questão, bem como as informações sobre um produto ou serviço, apareçam nas primeiras posições nos resultados da pesquisa. 

Sabe quando você faz uma busca no Google e os primeiros resultados são identificados com a tag “Anúncios”? Pois bem, sempre que uma pessoa clica em um desses anúncios é direcionada para um site. Assim, dizemos que o usuário chegou até essa página por meio de um resultado pago.

Portanto, aqui você pode entender algo importante sobre este tipo de tráfego: ele exige um investimento em dinheiro.

Por que fazer tráfego pago?

Para entender bem o que é tráfego pago e orgânico, precisamos compreender o porquê das estratégias serem importantes. Por isso, separamos a seguir duas principais vantagens em investir em um ação paga:

Retorno no curto prazo

Como a pesquisa paga é mais rápida de ser executada, seu retorno tende a ser mais rápido também. Isso porque, como veremos, o tráfego orgânico precisa de tempo de dedicação considerável para que os motores de busca encontrem o site em questão.

Já as campanhas de pesquisa paga podem ser configuradas e ativadas em um ou dois dias. Por essa razão, há negócios que decidem investir nesta estratégia como um primeiro passo mais agressivo para iniciar seus esforços de marketing.

Tráfego qualificado

Entre tráfego pago e orgânico, uma coisa é certa: gerar leads qualificados (que são as pessoas que realmente consideram ser seu cliente) pode ser mais fácil com os anúncios.

A razão disso é que eles aparecem nas primeiras posições dos motores de busca. Ainda, há o fato de que esses anúncios costumam trazer uma resposta às perguntas específicas dos usuários, algo que os motores de busca valorizam. 

Além disso, é possível definir uma segmentação específica para suas campanhas de mídia paga, direcionando os seus anúncios somente para o público que tem potencial para se transformar em cliente.

Como fazer tráfego pago?

Aqui falaremos de duas ferramentas:

Google Ads (+ Youtube)

O Google Ads é a plataforma de anúncios do Google. É também a mais utilizada pelos profissionais de marketing. 

Lembra quando comentamos que uma das vantagens do tráfego pago é a audiência qualificada? Isso ocorre porque no Google Ads as empresas conseguem segmentar o público que desejam atingir, como, por exemplo, por interesse, localidade, faixa etária, entre outros critérios.

Os passos para criar uma campanha no Google Ads são:

  1. Crie uma conta na página do Google Ads.
  2. Configure a campanha, ou seja, o tipo de campanha. Pode ser rede de pesquisa, rede de display, Gmail, Google Shopping, entre outras.
  3. Defina o nome da campanha e a data de início e fim.
  4. Faça a segmentação.
  5. Defina qual será o investimento.
  6. Defina as palavras-chave.
  7. Estruture o anúncio, com a URL final, os títulos e a descrição. 

Também pelo Google Ads é possível criar campanhas em vídeos no Youtube

Social Ads (Facebook / LinkedIn / Twitter / TikTok)

Social Ads são os anúncios feitos nas redes sociais. As ferramentas para os anúncios são disponibilizadas pelas próprias mídias. Apesar de não estar diretamente relacionada com os motores de busca, esta estratégia também pode ser utilizada para levar tráfego pago até o seu site.

Começando pelo Facebook, que é a rede mais utilizada no mundo, o pré-requisito para criar um anúncio na rede é que o negócio tenha uma página ao invés de um perfil pessoal. O Facebook Ads também permite acesso a outras mídias, como Stories, Instagram e Messenger.

O LinkedIn é indicado para quem busca atingir um público tomador de decisão. Já o Twitter possui uma plataforma para edição e análise de anúncios, o Twitter Ads. Por meio dela é possível criar campanhas segmentadas para quem está assistindo a um programa na televisão, por exemplo.

Por sua vez, o TikTok, uma rede que vem ganhando popularidade, pode ser a opção para quem busca uma maneira diferente e inovadora de fazer um anúncio.

Quanto custa tráfego pago?

A boa notícia é que não é preciso investir muito para criar anúncios. O valor a ser cobrado varia muito de acordo com a plataforma a ser utilizada. 

Antes de falarmos sobre isso, é importante entender que existem duas opções comuns de cobrança:

  • Custo por Clique (CPC): o anunciante somente vai pagar quando o usuário clicar no anúncio. O custo pode ser definido manual ou automaticamente. 
  • Custo por Mil Impressões (CPM): o anunciante paga quando o anúncio aparecer mil vezes nas pesquisas.

Como no CPC o anunciante só pagará quando alguém clicar no anúncio, é muito importante pensar na persona a quem ele se destina. Afinal, você não vai querer pessoas desinteressadas consumindo seu orçamento, não é mesmo?

Já o CPM é uma modalidade bem indicada quando a empresa quer ter reconhecimento de marca ou aumentar o alcance. Destacamos ainda que em ambas as opções a campanha sai do ar assim que o orçamento for consumido.

É possível fazer um investimento inicial no Google Ads de R$ 5,00 por dia. O mesmo vale para o Facebook.

O LinkedIn pode ser um pouco mais caro, dependendo do caso. Até o momento, o valor mínimo diário é de R$ 20. Lances em CPC ou CPM devem ser no mínimo de R$ 4,00.

Para o Twitter, segundo explicado aqui, as campanhas não possuem uma taxa fixa, pois os valores são definidos em um modelo de leilão. E sobre o TikTok, a rede cobra um orçamento diário de pelo menos US$ 50.

O que é tráfego orgânico?

O tráfego orgânico refere-se aos visitantes que chegam a um site graças aos resultados de pesquisa não pagos. Em outras palavras, é o oposto do tráfego pago. 

Assim, os resultados da pesquisa orgânica aparecem logo abaixo da lista de anúncios. É neste tipo de tráfego que precisamos prestar atenção nos algoritmos de pesquisa. Mais abaixo falaremos sobre eles, mas antes:

Por que investir em tráfego orgânico?

De acordo com o estudo realizado pela BrightEdge, empresas B2B geram 2 vezes mais receita de pesquisa orgânica do que qualquer outro canal

Sem dúvidas, este tipo de tráfego traz muitos benefícios a longo prazo. Os principais são:

Construir autoridade de marca

Como mostraremos adiante, o tráfego orgânico é baseado principalmente na estratégia de criação de conteúdo. Por meio dela, a empresa publica materiais que poderão ajudar seus clientes a tirarem suas dúvidas, resolverem um problema etc.

Ao fazer isso, o negócio mostra que conhece do segmento que está inserido e, mais importante, se preocupa em ajudar a audiência. 

Resultados e crescimento estável no longo prazo

Uma das questões importantes entre tráfego pago e orgânico é sobre o quanto as estratégias ajudam uma empresa a crescer. Se por um lado a estratégia paga pode ser uma boa opção para resultados a curto prazo, por outro, ela não vai possibilitar um crescimento escalável.

Ou seja, para receber mais tráfego pago, será sempre necessário aumentar o investimento feito nesses canais. 

Isso porque o tráfego pago pensa no presente, enquanto o orgânico parte do presente para atingir resultados futuros.

Como fazer tráfego orgânico?

Para um bom tráfego orgânico é fundamental focar na persona do negócio. Quanto melhor for a experiência dela nas relações com o site da empresa, mais destaque a empresa terá.

Falando sobre os algoritmos, em especial os do Google, tenha em mente que são eles que determinam o posicionamento da sua página nos resultados de pesquisa.

Por isso, o posicionamento da sua empresa nos rankings de pesquisa importa muito, afinal, ele será responsável pelo tráfego do seu site. Para melhorá-lo e fazer uma estratégia orgânica de qualidade, elencamos algumas ações. 

Marketing de Conteúdo

De forma breve, trata-se de uma estratégia de criação de conteúdo online com o objetivo de fazer com que a persona entre no funil da empresa. É conhecida como uma das ações mais eficazes para direcionar tráfego para um site. 

A criação de artigos para blogs, envio de e-mail marketing e postagens em redes sociais são todos exemplos de marketing de conteúdo. Lembre-se que ao adotar esta estratégia a informação de qualidade é algo fundamental para ter sucesso.

SEO

SEO (Search Engine Optimization) tem a ver com o processo de melhorar um site. Seu objetivo é o de aumentar a visibilidade da página quando as pessoas procuram produtos ou serviços nos mecanismos de busca. 

A relação aqui é bem simples: quanto melhor for a visibilidade de um site nos resultados de uma pesquisa, maiores são as chances de atrair bons leads. Por isso é que profissionais de marketing procuram sempre realizar ações visando otimizar o SEO.

Algumas estratégias que você pode começar a realizar desde já são:

  • Verificar a usabilidade do seu site;
  • Fazer um mapeamento de palavras-chave utilizadas e ver se elas estão de acordo com a persona; e
  • Investir em marketing de conteúdo.

Mídias sociais

É possível também ganhar tráfego orgânico por meio das redes sociais. Algumas maneiras de fazer isso é por meio da criação de posts compartilhando dicas, iniciando uma conversa, mostrando um passo a passo em imagens, compartilhando informações de interesse da persona, entre outras.

É nas mídias sociais que os conteúdos viralizam, portanto, foque em criar materiais que possam atrair o máximo possível de pessoas para seu perfil. A partir daí elas terão vontade de conhecer mais sobre o seu negócio e, inevitavelmente, se direcionarão ao seu site. 

Não esqueça que quanto mais acesso sua página tiver, mais o Google a verá como relevante. Lembrando que os conteúdos publicados no site podem – e devem – ser publicados nas redes sociais. Assim, aumentando ainda mais o alcance.

Quanto custa tráfego orgânico?

Como você deve imaginar, existe todo um custo por trás de um bom tráfego orgânico que gere leads. Para citar alguns exemplos, será preciso investimento em profissionais qualificados em produção de conteúdo, otimização de sites e SEO.

Há também ferramentas de marketing que podem ajudar a otimizar e automatizar algumas fases do processo. Colocando em outros termos, apesar de não envolver anúncios, o tráfego orgânico também acaba refletindo no orçamento de marketing.

Qual a diferença entre resultados pagos e orgânicos?

Uma das diferenças entre tráfego pago e orgânico está no custo. Conforme mostramos, a pesquisa orgânica se concentra em classificações não pagas nos resultados de pesquisa. Enquanto isso, a pesquisa paga aparece na lista de resultados com a etiqueta de “anúncio”.

Vale também destacar que o marketing digital de tráfego pago e orgânico varia de objetivo. Empresas costumam utilizar o orgânico para otimizar a visibilidade de seu site ou classificações nos resultados de pesquisa, bem como para ganhar autoridade, ser referência e construir relacionamentos

Já os resultados pagos são o foco de empresas que querem ter resultados rápidos de vendas, um alcance maior ou aumentar a visibilidade da marca.

Qual é melhor: Tráfego pago ou orgânico?

Por que fazer tráfego pago, se você pode obter leads qualificados com o orgânico? Ou, por que optar por resultados orgânicos se os pagos têm resultados mais rápidos?

É por isso que entre tráfego pago e orgânico a resposta é: opte pelas duas estratégias. Entenda que não existe uma fórmula mágica quando se trata de marketing digital.

Para quem está focado em alcançar os melhores resultados possíveis, a dica é analisar as táticas de pesquisa paga e orgânica. Reforçamos que:

  • O tráfego pago é visto como uma boa maneira de direcionar os clientes com maior probabilidade de conversão;
  • Enquanto o tráfego orgânico é o ideal para garantir resultados sustentáveis a longo prazo.

Então, não esqueça que as duas estratégias podem ser complementares. Tudo dependerá do planejamento de marketing e dos objetivos a serem atingidos.

Como medir o ROI das duas estratégias?

O primeiro passo é saber qual é o objetivo da estratégia. Pode ser obter inscritos em um webinar, aumentar os acessos ao site, converter leads, fechar vendas e tantos outros.

Para o tráfego orgânico, o Google Analytics pode ajudar a avaliar as visitas ao site, os textos mais acessados (para o caso de posts em blogs) e os links mais clicados, por exemplo. É possível saber também de onde vem esse tráfego, ou seja, se de um anúncio, da rede social etc.

No tráfego pago, as plataformas como Google Ads e Facebook Ads trazem também as informações de conversões. Isso ajudará na definição do ROI de cada campanha.

Se você tem interesse em saber como calcular o ROI de marketing, não deixe de ler este artigo.

Concluindo

Conhecer sobre tráfego pago e orgânico é essencial para planejar uma estratégia de marketing que realmente traga resultados. Como os dois servem para objetivos e necessidades diferentes, cada um responde a uma necessidade.

No entanto, reforçamos que, de modo geral, não se trata de escolher entre um e outro. Mas, sim, de elaborar uma estratégia para melhorar o SEO ao mesmo tempo em que se busca ganhar visibilidade mais rapidamente. 

Lembrando sempre que tudo dependerá de fatores como orçamento disponível, comportamento da persona e objetivos de marketing. 

Para entender melhor e seguir no assunto, leia também: Por que você deveria criar uma estratégia de marketing unindo mídia paga e marketing conversacional.

Compartilhe agora!
Categorias: Estratégia

Gustavo Luby

CMO da Leadster, há 6 anos empreendendo no setor de tecnologia, apaixonado por CRO, Growth Hacking e Mídia paga.