Que investir em mídia paga é algo importante na estratégia de marketing e que potencializa os resultados em menos tempo, você já sabe.

Mas muitas vezes pode surgir aquela dúvida sobre o melhor canal online para investimento.

Google Ads vs Facebook Ads: Se essa dúvida de mídia online já passou pela sua cabeça, esse post vai te ajudar.

Essa é uma discussão antiga e que ainda se faz presente entre os profissionais de marketing e gestores de marca.

Brincadeiras à parte, será que existe uma resposta para essa disputa?

Continue a leitura para saber em detalhes o que fará diferença na sua estratégia.

Google Ads

Antes de comparar essas duas plataformas de mídia online, vamos retomar alguns conceitos básicos de cada uma delas.

O Google Ads é a plataforma de mídia paga do Google, que aproveita o alcance de seus diferentes canais como o Youtube, o próprio Google e a rede se sites parceiros, para que marcas possam construir e veicular anúncios para a audiência de usuários. 

Nesse post, focamos mais na plataforma de busca (Google Search), deixando em segundo plano as opções de display e o YouTube, que é praticamente um canal à parte.

Como funciona

A plataforma possibilita a criação de anúncios online em diferentes formatos, através da rede de pesquisa, rede de display, Youtube, Google Shopping e aplicativos.

As campanhas são segmentadas e configuradas de acordo com os objetivos e estratégias de cada marca. 

A cobrança também é feita de acordo com as configurações das campanhas, o que possibilita um alto controle de quem está investindo.

Vantagens

Entre as vantagens de investir no Google Ads podemos destacar:

  • Possibilita atingir o usuário em diferentes estágios do funil de vendas, principalmente meio e fundo;
  • Tem fácil acompanhamento de métricas e resultados;
  • O investimento é flexível, determinado pela marca e pode ser alterado com as campanhas em andamento.

Desvantagens

Entre as desvantagens da plataforma, citamos:

  • É preciso ter um conhecimento mais técnico para que os investimentos das campanhas sejam bem utilizados;
  • Como o sistema é baseado em pesquisa, pode ser mais difícil atingir um usuário em estágio inicial do funil de vendas, que ainda não está buscando por uma solução; 
  • Nos últimos meses, tem ficado mais caro investir no Google Ads por conta da alta concorrência.

Quando utilizar

O Google Ads é particularmente interessante para atingir usuários que já têm alguma intenção de compra.

Outro ponto que atrai tantos anunciantes para a rede é o fato de que a plataforma é interessante para segmentos que possuem palavras-chave com grande volume de busca, ou ainda palavras-chave com buscas bastante específicas. 

Por exemplo, digamos que a sua marca trabalhe com a produção e venda de chapas expandidas.

Esse termo possui um alto volume de buscas, o que pode impulsionar os resultados dos seus anúncios, trazendo leads mais qualificados para a compra. 

Outra dica, levando em conta as buscas mais específicas, é encontrar as chamadas palavras-chave long tail, ou cauda longa, para fugir das altas concorrências.

Utilizando o mesmo exemplo, os anúncios poderiam utilizar o termo “chapa expandida perfurada em Curitiba”.

 Confira: 18 Melhores Canais de Mídia Paga para Anunciar na Internet

Facebook Ads (Meta Ads)

Facebook Ads (Meta Ads)

O Facebook Ads é a plataforma de publicidade do Facebook, agora Meta.

Nele você pode criar campanhas de mídia paga para Facebook, Instagram, Audience Network e Messenger, já que todas essas redes sociais pertencem ao mesmo grupo.

Você também pode explorar uma infinidade de formatos de anúncios, segmentações e diferentes configurações para campanhas de alto impacto online.

Como funciona

Os anúncios são veiculados dentro das redes sociais, atingindo os usuários que fazem parte de cada uma delas. 

Escolhidos os canais, orçamento, públicos segmentados e objetivos das campanhas, os anúncios são criados, normalmente com um apelo mais visual, pela característica e dinâmica das próprias redes do grupo. 

Vantagens

Entre as vantagens de investir no Facebook Ads, podemos destacar:

  • O Facebook é a maior rede social do mundo, com mais de 2 milhões de usuários ativos (dados de 2021). Isso disponibiliza uma grande audiência para as marcas;
  • Possibilita segmentações bastante específicas para as campanhas;
  • Possibilita atingir o usuário em diferentes estágios do funil de vendas, inclusive em estágios iniciais;
  • Tem fácil acompanhamento de métricas e resultados;
  • O investimento é flexível, determinado pela marca e pode ser alterado com as campanhas em andamento.

Desvantagens

Por outro lado, destacamos algumas desvantagens:

  • Também é preciso ter um conhecimento mais técnico para que os investimentos das campanhas sejam bem utilizados;
  • A taxa de cliques e de conversões dos anúncios do Facebook Ads costumam ser mais baixas ou atrair usuários “curiosos”, mas que não estão qualificados para compra.

Quando utilizar

O Facebook Ads pode ser explorado especialmente para produtos que não possuem um alto volume de buscas no Google, para produtos visualmente atrativos e que podem aproveitar essa característica das redes sociais e para explorar públicos com potencial de compra mais amplo. 

Outro ponto que deve ser levado em consideração é que o Facebook Ads pode funcionar bem para segmentos em que o ciclo de compras é mais longo, como imobiliárias, construtoras e empresas de educação.

 Leia também: Social Ads: Como Usar as Redes Sociais para Gerar mais Leads

Qual a diferença entre Google Ads e Facebook Ads?

A principal diferença na disputa Google Ads vs Facebook Ads é que se tratam de plataformas de alta intenção de compra vs baixa intenção de compra

Uma plataforma de Busca, como o Google Ads, em geral atrai usuários com alta intenção de compra, que estão procurando ativamente por um produto, serviço ou solução para determinado problema.

Já uma plataforma que oferece anúncios em Display, Vídeo ou Social, como é o caso do Facebook Ads, impacta usuários que não necessariamente estavam buscando por aquele produto quando receberam o anúncio.

Qual a diferença entre Google Ads e Facebook Ads?

Outras diferenças importantes de serem citadas são:

  • Os canais disponíveis para anúncio (Instagram, Youtube, Facebook, Google, sites, etc.);
  • A forma como acontece a segmentação do público (que pode ser baseada em buscas ou em interesses);
  • O tipo e formato dos anúncios;
  • A disposição desses anúncios;
  • O tipo de oferta mais atrativa para o usuário;
  • Entre outros. 
Qual a diferença entre Google Ads e Facebook Ads?
Ofertas mais atrativas para o usuário com baixa vs alta intenção de compra.

Confira no infográfico abaixo todos os detalhes e diferenças entre as plataformas.

Quanto custa Google Ads e Facebook Ads?

Como comentamos, os orçamentos e investimentos em ambas as plataformas são bastante flexíveis, o que possibilita que empresas de todos os tamanhos consigam colocar campanhas no ar.

Quanto custa Google Ads e Facebook Ads?

No Google Ads o investimento mínimo é de R$ 5 por dia.

Já no Facebook Ads o custo mínimo não é estipulado, mas o valor médio por anúncio fica entre R$ 2 e R$ 12 por dia. 

É claro que os valores totais das campanhas e anúncios desenvolvidos precisam ser analisados e determinados conforme o poder de investimento, as configurações da campanha, o período de veiculação e o objetivo definido.

Como identificar o melhor canal de mídia paga

Como identificar o melhor canal de mídia paga

Alguns fatores devem ser levados em consideração na escolha dos canais de mídia paga e nas plataformas de anúncio.

São eles: 

Pense na intenção com o anúncio

Qual o objetivo do anúncio da sua marca?

Você quer tornar sua marca mais conhecida? Quer atrair visitantes para seu site ou Landing Page?

Quer aumentar o número de orçamentos? Ou quer ainda divulgar uma promoção com data para ser finalizada? 

Diferentes objetivos podem ser melhor encaixados nas características que já citamos sobre cada uma das plataformas.

Leve em conta o perfil do seu público

O perfil do seu público-alvo também interfere na escolha.

Afinal, de nada adianta criar uma ótima campanha no Facebook, por exemplo, se o seu público não está nessa rede social.

Leve em consideração os hábitos de consumo não só de marcas, mas também de informação e de entretenimento do consumidor que você quer atingir com determinada campanha.

Faça testes para acompanhar as métricas

Se você nunca investiu nessas plataformas de mídia online, pode acabar em dúvida sobre o que funciona melhor com seu público e o que traria leads mais qualificados. 

Se esse é o seu caso, recomendamos que você aproveite as vantagens das plataformas: a flexibilidade no orçamento e as métricas altamente monitoráveis

Faça testes comparando os custos (CPC Custo por Clique, CPL Custo por Lead…) e também o ROI (Retorno Sobre Investimento) de cada um dos canais durante um tempo, para depois investir seu orçamento mais pesado naquele que trouxe os melhores índices.

Google Ads vs Facebook Ads: qual o melhor para geração de leads?

Quando falamos em geração de leads, qual é a melhor plataforma?

A resposta também é: depende. 

Invista em Google Ads quando seu objetivo for atrair leads qualificados que já têm um interesse de compra claro e para campanhas de retargeting.

Use o Facebook Ads para investir em reconhecimento de marca e para atrair leads topo de funil.

Dicas para utilizar os canais em conjunto

Dicas para utilizar os canais em conjunto

Para uma estratégia mais completa de marketing e de mídia paga, é interessante que você combine as plataformas de anúncios, para assim impactar leads em todos os estágios do funil de vendas.

Estratégia 1  

A primeira estratégia de uso conjunto do Google Ads com o Facebook Ads pode seguir a seguinte estrutura:

  1. Primeiro, investir no Google para trazer usuários que estão buscando os termos de interesse da marca;
  2. Investir no Facebook Ads com campanhas de remarketing, que vão atingir aqueles usuários que já tiveram contato com a sua marca previamente. Isso aumenta a lembrança de marca e traz argumentos de venda para quem ainda estava em dúvida em relação à compra.

Estratégia 2

Um outro cenário de combinação das plataformas pode seguir uma estrutura diferente:

  1. Trazer usuários através do Google Ads;
  2. Explorar no Facebook Ads uma segmentação “Lookalike”, que utiliza uma Audiência Personalizada para construir uma lista de usuários que apresentam interesses similares aos de seus leads ou clientes. Dessa forma você aumenta o número de pessoas impactadas e aumenta também a chance de que esses novos leads também sejam qualificados. 
 Você também pode se interessar: 50 Exemplos de Anúncios Validados para Gerar Leads em 2022

O cenário da mídia paga no Brasil e no mundo

O cenário da mídia paga no Brasil e no mundo

Por mais que novas estratégias sejam pensadas e novas formas de explorar as plataformas de anúncio sejam uma preocupação do profissional de marketing, a realidade é que o cenário de investimento em mídia paga vem mudando.

Segundo matéria publicada no Valor Econômico em fevereiro de 2022, em dezembro de 2021, o custo por clique no Google estava 80% acima dos números registrados em janeiro do mesmo ano, chegando a 100% acima em datas mais competitivas, como Black Friday e Natal. 

Então, como reverter essa situação e atrair a atenção dos usuários?

O cenário é favorável aos investimentos em CRO (otimização para conversão) e em Marketing Conversacional, como formas de converter quem chega ao site através de outros canais além da mídia paga. 

 Saiba mais: Por que Você Deveria Criar uma Estratégia de Marketing unindo Mídia Paga e Marketing Conversacional

Investindo em Otimização de Conversão (CRO)

As empresas precisam então aproveitar ao máximo a atenção conquistada, seja através dos acessos pagos ou orgânicos ao site, fazendo com que um maior número de visitantes se torne lead.

E essa conta só fecha com um fator determinante: o aumento na taxa de conversão.

As alternativas que ganham destaque nesse cenário são a otimização da conversão, através de recursos e estratégias como as de Marketing Conversacional. 

O CRO (Conversion Rate Optimization) propõe utilizar a estrutura já existente, incrementando-a e ajustando-a para melhorar as taxas de conversão, aumentar os resultados e, consequentemente, as vendas.

E o Marketing Conversacional é uma das estratégias mais potentes para o aumento da conversão, além de auxiliar nos processos de vendas, atendimento e suporte ao cliente.

Através de ferramentas como assistentes virtuais e chatbots, traz os visitantes para conversas interativas, captando dados, qualificando e gerando engajamento, satisfação e melhora na experiência do consumidor. 

Quer saber mais sobre esse tipo de estratégia alternativa aos altos investimentos em mídia paga?

Conheça mais sobre as possibilidades que oferecemos aqui na Leadster.

Compartilhe agora!

Gustavo Luby

CMO da Leadster, há 6 anos empreendendo no setor de tecnologia, apaixonado por CRO, Growth Hacking e Mídia paga.