O que é Data-Driven Marketing, Vantagens e como Implementar

Publicado por Gustavo Luby em

“Se você não pode medir, você não pode gerenciar”. Essa é uma frase muito conhecida no mundo corporativo, que reforça como o controle dos processos está ligado às métricas dos mesmos. E o que isso tem a ver com Data-driven Marketing? Tudo!

No post de hoje vamos abordar essa estratégia voltada para tomada de decisão orientada por dados, que foi e é tão revolucionária para o marketing. 

O que é Data-driven Marketing?

O termo “Data-driven” pode ser traduzido do inglês como “orientado por dados”. No contexto de marketing, ele classifica uma mentalidade, metodologia e planejamento estratégico com base na coleta e análise de informações de consumidores, com dados sólidos como centro da tomada de decisões.

E não são quaisquer dados que são acompanhados e analisados. Essa foi uma das maiores transformações no marketing digital. O Data-driven Marketing faz uso de análise computacional e grande volume de dados digitais analisados. Estamos falando aqui sobre Analytics, Big Data, Business Intelligence e Machine Learning. 

Esses dados possibilitam responder perguntas como para quem, quando, como e com que mensagem uma marca chega até o objetivo de venda. As informações se transformam em análises robustas, que direcionam as ações, as vantagens competitivas e, consequentemente, o sucesso do negócio.

Quais os benefícios do Data-driven Marketing?

Os benefícios de utilizar Data-driven Marketing são significativos. Selecionamos alguns que certamente são do seu interesse. 

Segmentação ideal de consumidores

Os investimentos em marketing e campanhas de publicidade são otimizados, com a segmentação baseada em dados concretos. É possível criar campanhas bastante específicas e diferenciadas para o público que realmente terá um interesse na mensagem. Conversando com o consumidor certo, no momento certo, as taxas de conversão também aumentam e os custos com campanhas são melhor distribuídos. 

Criação de conteúdo relevante

O tempo do marketing com conteúdo genérico já acabou. Os consumidores hoje estão interessados em conteúdos pensados para as necessidades individuais de cada um, que apresentem informações, produtos e serviços relevantes para eles. 

Com a análise e aplicação do Data-driven Marketing os conteúdos também são baseados em informações e naqueles que obtêm melhores resultados, e não apenas em questões empíricas e percepções sobre os consumidores que podem estar distorcidas.

Possibilidade de conduzir testes A/B

Testes A/B são formas de apresentar ao público real materiais ou campanhas em duas versões, mas com pequenas modificações de texto ou visual. As duas versões são apresentadas ao público durante um período de teste e a que tem melhor performance assume até o fim da campanha, como versão fixa.

Esse tipo de estratégia só é possível pela análise de dados orientada para a tomada de decisão. Ao investir na versão com desempenho mais satisfatório você melhora as taxas de clique e conversão.

Integração total com vendas

A integração entre os setores de marketing e de vendas é essencial para bons resultados. Muitas empresas pecam nesse ponto e o Data-driven pode ser uma solução para compartilhar dados importantes e relevantes entre as duas áreas.

O que é ser Data-driven?

Para utilizar o Data-driven nas estratégias de marketing da sua empresa, não basta apenas partir para a análise de dados, é preciso também entender o que faz parte dessa cultura.

A cultura Data-driven vai além da adoção de ferramentas e tecnologia para orientar as decisões. Ela nos ensina que para aplicá-la é preciso considerar alguns pontos e para conquistar o sucesso tão desejado é preciso fazer a manutenção desses aspectos:

  • Liderança;
  • Comportamento;
  • Tecnologia;
  • Processos;
  • Persistência;
  • Evolução;
  • Confiança;
  • Coragem.

Como ser mais Data-driven?

Listamos aqui algumas dicas práticas para implementar o Data-driven Marketing na sua empresa e estratégias.

Defina os objetivos

Sem objetivos claros, ninguém sabe o que precisa ser acompanhado e nem para onde as ações devem levar. Portanto, o primeiro passo para ser Data-driven é definir o que precisa ser alcançado, como e em que prazo.

Defina as métricas

Entendido o objetivo, pense nas métricas que são fundamentais para acompanhar a evolução. Um bom dado de análise precisa ter quatro características: ser importante, ser simples de entender, ser facilmente mensurável e ser capaz de levar a uma ação positiva.

Defina como as métricas serão extraídas e apresentadas

Agora chega a parte das ferramentas. É preciso definir quais serão os canais de acompanhamento das métricas, quais os critérios de seleção e como as métricas serão organizadas para entendimento geral da equipe ou da diretoria, por exemplo.

Outro ponto muito importante aqui é que esse processo precisa estar registrado. Assim, esse acompanhamento e extração de dados não fica nas mãos de apenas um colaborador e é possível consultar o histórico com facilidade.

Defina quando as métricas serão analisadas

Para acompanhar com inteligência também é preciso definir a frequência com que essas metas serão extraídas. Se for necessário, defina também a frequência com que as métricas serão apresentadas para diferentes públicos. 

Por exemplo, pode ser que a equipe de marketing acompanhe os dados semanalmente na reunião do time e que para a diretoria os dados sejam consolidados para apresentação uma vez por mês. 

Acompanhe

O histórico de dados e também de tomada de decisões é fundamental para uma boa cultura de Data-driven Marketing. As evoluções e as métricas também podem ser mudadas ao longo do percurso, ainda mais se a sua empresa vai começar a implementar essa estratégia agora. 

Cumpra com os períodos e processos definidos para que isso não seja prejudicado.

Analise e tome as decisões

Aqui chegamos ao ponto principal do Data-driven Marketing, com os dados sendo transformados em decisões assertivas. Analise os dados em todas as etapas da jornada de compras do seu consumidor (aquisição, conversão, retenção e recomendação). Entenda quais investimentos trouxeram os melhores resultados, que tipo de material ou esforço vale a pena retomar, quais são os canais mais relevantes…

E lembre-se sempre, se o objetivo definido não está sendo alcançado, reveja as rotas, ações e estratégias. Mudanças podem e devem ser feitas com essa mentalidade de sucesso.

Recomece 

A análise de dados deve ser contínua, principalmente quando falamos em Data-driven Marketing. Os passos descritos aqui são etapas que funcionam em ciclo. Ao fim de um período de tempo definido, de uma campanha ou de uma sazonalidade, os objetivos, métricas, processos, frequência, ferramentas, acompanhamento e análise devem ser repensados e refeitos.

Nada nos ensina mais do que a nossa própria experiência e com Data-driven Marketing isso não é diferente. 

Como implementar uma cultura Data-driven?

A implementação de uma nova cultura organizacional não é uma tarefa simples, mas os resultados são recompensadores. Para que o Data-driven (não apenas no marketing!) esteja presente nas metodologias de trabalho, nos valores empresariais e nos modelos de negócio da sua empresa, alguns aspectos são fundamentais:

  • Gerenciar dados como ativos estratégicos da empresa;
  • Buscar eficiência operacional ;
  • Garantir a governança de dados;
  • Zelar pela qualidade de dados;
  • Desenvolver métricas (KPIs) para analisar a gestão de dados;
  • Criar soluções focadas na inovação, pesquisa e desenvolvimento;
  • Incorporar tendências em tecnologia e inteligência de dados;
  • Definir padrões de política de dados;
  • Desenvolver o capital intelectual da empresa;
  • Treinar e orientar gestores e equipes .

Quais as principais ferramentas do Data-driven Marketing?

Para conseguir acompanhar, extrair e criar relatórios de análise para os dados da sua empresa e do seu setor de marketing, existem muitas ferramentas disponíveis no mercado. Muitas vezes o que vai determinar qual delas escolher são os objetivos, tipos de materiais e campanhas desenvolvidas, canais de comunicação utilizados e métricas acompanhadas.

Você também pode combinar mais de uma ferramenta, para resultados ainda mais analíticos e específicos para cada um dos fatores que citamos acima. 

Tenha em mente que as ferramentas escolhidas devem garantir questões como velocidade de processamento, armazenamento Big Data, indicadores de fácil identificação e uma interface simples para exibição desses resultados.

Entre as ferramentas mais utilizadas no Data-driven Marketing estão o Google Analytics, Google Search Console, Google Ads, Google Data Studio, Facebook Ads, ferramentas de automação, de disparo de e-mail e de rastreamento de leads, CRMs, plataformas de e-commerce e ferramentas específicas de Business Intelligence.

Conclusão

Os dados da sua empresa devem ser tratados com a importância que eles têm e com as possibilidades hoje oferecidas pela tecnologia. 

Aproveite todo o potencial do Data-driven Marketing para atrair os consumidores certos, melhorar as estratégias de marketing, otimizar seus investimentos e multiplicar seus resultados!

Compartilhe agora!
Categorias: Estratégia

Gustavo Luby

CMO da Leadster, há 6 anos empreendendo no setor de tecnologia, apaixonado por CRO, Growth Hacking e Mídia paga.