A tecnologia facilita a vida dos consumidores e transforma a forma como as vendas e negociações são feitas — não apenas quando falamos em e-commerce.

Todos os dias novas ferramentas de marketing e vendas online surgem, auxiliando também as marcas a obterem melhores resultados. 

Quem não se adapta a esta nova realidade pode acabar ficando para trás e perdendo importantes oportunidades de negócio.

Você quer saber como vender mais pela internet, independente do setor da sua empresa?

Então confira esse post com várias informações e mais 12 dicas comprovadas para isso. 

4 Motivos para vender pela internet

Além de acompanhar a tendência de consumo do mercado, investir na divulgação e na venda online, seja de produtos ou serviços, apresenta muitas outras vantagens. 

Segmentação do público

Ao utilizar canais online para a venda você consegue oferecer ao seu público uma experiência de compra de acordo com as expectativas que ele tem.

Além disso, a atração do público pode ser feita de forma segmentada, através de investimentos e anúncios direcionados para aquele perfil que tem mais chance de virar um consumidor da sua marca.

Possibilidade de personalização

Outra grande vantagem de vender online que vai ao encontro do que o consumidor espera é a personalização. 

Ao oferecer experiências personalizadas e pensadas para as reais necessidades que ele tem, a marca estará alinhada com as expectativas, desejos e intenções dos visitantes.

Para atingir isso, vale o investimento e personalização de acordo com o comportamento online, páginas visitadas, canais de origem de cada visitante e explorar ferramentas que abordam cada consumidor de forma personalizada, de acordo com seu contexto de navegação.

Otimização de conversão

Com as ferramentas e os canais online, as chances de otimizar a conversão também são maiores, em todas as etapas do funil de vendas.

Afinal, diversas ações e melhorias podem ser feitas.

Vamos falar mais sobre elas mais adiante neste conteúdo. 

Métricas mensuráveis

Por último, mas não menos importante, está o fato de que as vendas online possibilitam uma mensuração mais apurada dos dados e métricas.

Fica mais simples acompanhar os números e gerar relatórios para tomada de decisão com base em dados, pois você saberá exatamente quanto investiu em cada ação, material e ferramenta, além de conhecer os detalhes do retorno sobre o investimento de cada um deles. 

Quem pode vender online?

Engana-se quem pensa que as vendas online privilegiam apenas as marcas que trabalham com o oferecimento de produtos através de e-commerce.

Plataformas digitais podem e devem ser exploradas também por empresas B2B e por prestadoras de serviços.

Empresas B2B e B2C

Uma empresa B2C (Business to Consumer) concretiza as vendas diretamente para o consumidor final, sem intermediários.

Já se a marca vende para outra empresa, ela se encaixa no formato B2B (Business to Business). 

Esses dois tipos de empresa podem disponibilizar e divulgar canais de vendas online, mesmo com dinâmicas diferentes. 

Profissionais autônomos (MEI)

Mesmo empresas de porte menor, como as abertas como MEI (Micro Empreendedor Individual) podem utilizar as plataformas online como forma de vender mais pela internet.

Profissionais como corretores de imóveis, advogados e outros profissionais autônomos encontram uma oportunidade de atrair um público qualificado através dos canais digitais.

Como vender pela internet no Brasil?

No caso dos e-commerces, estes podem ser explorados para venda de produtos e prestação de serviços como operações de marketplace.

Isso porque, segundo a lei brasileira vigente, é necessário cumprir alguns critérios tributários e legais. 

Mas existem muitas outras formas de utilizar os canais de venda online além dos e-commerces.

A captação de leads através de ferramentas e canais digitais é uma forma de iniciar a aproximação com consumidores que não necessariamente precisam fechar uma compra ou contratação apenas por um e-commerce.

  Leia mais: 8 Novos Canais de Vendas para Você Testar em 2022

Quais são as fases de uma venda online e como otimizá-las?

Para aproveitar todo o potencial dos canais online de vendas é preciso entender que existem milhares de consumidores que estão ali, mas nem todos eles já estão prontos para o momento da compra ou contratação. 

Por isso, na estratégia digital, o funil de vendas ou a jornada de compras é levada em consideração, pois ela auxilia a marca a falar com o consumidor com a linguagem certa, no momento certo.

O foco é a necessidade do usuário no estágio em que ele se encontra.

Saiba mais sobre cada uma das fases aqui: 

Visitantes

Quando um usuário tem um primeiro contato com a sua marca, em qualquer que seja o canal online, ele é considerado um visitante.

Na primeira parte da jornada, o consumidor ainda não está pensando em uma compra.

Ele começa a identificar dúvidas e a empresa se coloca no lugar de quem irá ajudá-lo a descobrir qual é o problema que está gerando esses questionamentos. 

Aqui, o foco está na visibilidade, alcance e impressão.

É o momento de captar a atenção dos visitantes e fornecer conteúdos educativos e campanhas por alcance e frequência.

Leads

A partir do momento que a sua empresa capta um dado de contato desse visitante, ele se torna um lead.

Esse avanço no funil é significativo, pois agora sua marca pode traçar uma comunicação direta com esse consumidor, entendendo as necessidades e perfil de consumo dele.

Com o entendimento e reconhecimento do problema, o consumidor começa também a buscar pela solução de dúvidas sobre temas mais específicos (afinal, agora sabe sobre o que pesquisar) e a marca pode começar a gerar uma necessidade de solução.

A marca ainda não é colocada como centro das atenções e o foco deve estar no auxílio e solução das dúvidas, com conteúdos mais aprofundados e específicos sobre os problemas.

Leads qualificados

Nem todas essas conversões de visitantes em leads representam pessoas com interesse real em fechar uma compra ou contratação.

Algumas pessoas podem não estar procurando a solução que você oferece.

Outras podem estar apenas curiosas e ainda vão pesquisar muito antes de decidir.

Outras podem ainda ter interesse, mas não ter o poder aquisitivo para fechar negócio. 

Muitas vezes um lead não vai evoluir através do funil de vendas.

E outras tantas vezes o lead ainda não está pronto para a compra e precisa passar pelo processo que chamamos, em Inbound Marketing, de nutrição e qualificação.

O lead qualificado é então esse lead que já passou por esse processo e está mais próximo do momento de compra.  

Oportunidades

Os leads qualificados que continuam a avançar no funil de vendas se tornam oportunidades de negócio.

Esses consumidores devem ser trabalhados pelo comercial da marca, pois têm maiores chances de se tornarem clientes.

  Leia também: As Objeções de Vendas que Fazem todo Vendedor Tremer na Base — E como Contorná-las

Aqui o convencimento acontece pela solução e ainda não pela marca.

Primeiro o consumidor decide comprar uma cadeira de escritório, pois percebeu que a falta de um produto de qualidade é que está causando dor nas coisas.

Só depois dessa decisão anterior é que ele começa a procurar pelas opções de marca.

O que nos leva à próxima fase. 

Clientes

Chegamos enfim à conversão do consumidor em cliente da sua marca, quando ele fecha uma compra ou contratação. 

A escolha pela marca está aqui.

Além dos anúncios direcionados à conversão, entram estratégias de remarketing e fluxos de nutrição que direcionam o lead através da jornada de compra.

Em muitos casos a conversão também pode ser feita através de plataformas online, o que torna tudo mais simples e cômodo para o consumidor.

12 Passos Comprovados para Vender Mais pela Internet

Vamos ao que mais interessa?

Reunimos agora 12 passos para vender mais pela internet, aproveitando tudo o que as ferramentas online têm para oferecer:

1. Invista tempo para criar um planejamento de vendas

O primeiro passo para ter melhores resultados de venda é investir tempo e conhecimento no planejamento e a primeira etapa de qualquer planejamento é a definição de objetivos. 

Você precisa entender o que quer atingir para poder determinar os recursos que terá para dar os próximos passos.

Se você não sabe de forma clara quais são os objetivos de vendas, também não saberá quais investimentos, esforços e métricas o auxiliarão a acompanhar se você está chegando mais próximo de atingi-los.

Por isso, sente-se com a sua equipe comercial e defina o planejamento dos próximos meses em detalhes.

Revise sempre para entender se o que foi previsto está sendo cumprido e, claro, se está evoluindo como foi esperado.

  Você também pode se interessar por: 9 Gatilhos Mentais para Vendas que Ainda Funcionam em 2021

2. Conheça o perfil do seu cliente

É preciso conhecer o perfil dele, entender porque ele consome com a sua empresa e quais são os receios antes dele fechar uma compra ou contratação.

Leve em consideração aspectos e pesquisas qualitativas e quantitativas para fazer as análises.

Conhecer o cliente direcionará onde colocar os esforços e onde parar de investir.

Toda empresa tem perfis de melhores e piores clientes e você precisa parar agora de atrair clientes ruins. 

Para isso explore ferramenta de definição de público-alvo, persona e ICP (Perfil de Cliente Ideal).

Você pode conferir um conteúdo completo sobre o tema aqui: “ICP, Persona e Público-Alvo: Não Confunda esses 3 Conceitos”.

3. Tenha uma proposta de valor clara

Uma proposta de valor é uma promessa a ser entregue por uma marca, é o que a sua empresa tem a oferecer através dos produtos e serviços e é também a principal razão pela qual o consumidor deve comprar com você.

Quando ele se depara com uma solução é essa proposta de valor que se destaca e que reforça que aquela é a melhor opção para ele. 

A proposta de valor deve ser clara, forte e focada no consumidor.

É assim que o marketing do seu negócio irá se destacar em relação à concorrência, principalmente se a sua marca está iniciando e ainda é pouco conhecida.

  Saiba mais como criar a proposta de valor da sua marca em: Canvas da Proposta de Valor – O que é e Como Criar o Seu

4. Adicione prova social em suas páginas e publicações

A prova social é uma ferramenta de persuasão na hora de convencer um cliente em potencial a realmente fechar uma compra ou contratação com a sua empresa.

Assim, podemos dizer que a prova social é baseada na ideia de influência social.

Com um depoimento ou validação de alguém que já conhece a marca e que se beneficiou com a solução oferecida a credibilidade aumenta, assim como a tomada de decisão é impulsionada.

Você pode incluir a prova social nos seus canais e materiais de diversas formas.

  Saiba mais em: “Prova Social: O que é, como Funciona e Por que ela é Importante”.

5. Crie abordagens personalizadas

Já comentamos como é efetiva a personalização no ambiente online.

Apenas para citar um exemplo, CTAs personalizados têm performance e resultados até 202% melhores do que CTAs que não têm personalização. 

E a personalização pode ir muito mais além: é possível trabalhar a personalização de campanhas, páginas e abordagens de acordo com a origem e interesse de cada visitante. 

Aqui na Leadster, por exemplo, oferecemos ferramentas de chatbots e assistentes virtuais, que são a melhor alternativa de personalização em relação aos formulários estáticos e estão crescendo pois eles garantem melhores taxas de conversão e uma experiência mais interativa e dinâmica.

Essas ferramentas abordam cada consumidor de forma personalizada, de acordo com seu contexto de navegação, assim conseguem aumentar seu engajamento, melhorar a experiência do cliente e aumentar as chances de conversão e, consequentemente, de vendas.

6. Invista em um bom atendimento para fidelizar seus clientes

Um atendimento padronizado, de qualidade e eficiente encanta os clientes e também faz parte da experiência de consumo.

Portanto, a agilidade de atendimento e a precisão das informações são fundamentais para os consumidores com dúvidas que querem comprar.

E o atendimento pós-venda também precisa ser pensado para garantir que os clientes voltarão a comprar da sua marca.

7. Otimize sites e páginas para conversão

CRO ou Conversion Rate Optimization é a estratégia para a otimização da taxa de conversão, que propõe utilizar a estrutura já existente, incrementando-a e ajustando-a para melhorar os resultados de conversão, e, consequentemente, as vendas.

Ela pode ser aplicada em sites e páginas, em conjunto com as técnicas e estratégias de SEO (Search Engine Optimization) para melhorar as taxas de conversão em todos os estágios do funil de vendas. 

8. Tenha estratégias para todas as etapas do funil

O consumidor entra no funil como um visitante e vai sendo nutrido e trabalhado até passar por diferentes etapas, se tornando lead, depois lead qualificado até, finalmente, se tornar um cliente da sua empresa ou marca.

Para cobrir todas as oportunidades online é preciso incluir no planejamento todas as etapas do funil de vendas: atração, conversão, relacionamento e venda.

Se você quer aprofundar seus conhecimentos neste tema, recomendamos a leitura de dois outros conteúdos:

9. Mantenha mais de um canal de vendas

Combinar canais de vendas é o que vai trazer os melhores resultados no cenário atual, com tantas ferramentas, possibilidades e novas tendências de consumo.

Por isso, entenda quais canais fazem sentido para a sua marca e seu público.

As opções são diversas: site próprio, mídia paga, tráfego orgânico telefone, marketplace, redes sociais, e-mail, WhatsApp, Google Shopping, Apps, etc.

Definir e combinar os melhores canais de venda é fundamental, mas também é essencial monitorar os resultados em cada um deles, para que a marca possa tomar a decisão dos investimentos com base em dados. 

10. Marque presença nos lugares onde o seu público está

Além dos canais de venda, reforce a presença digital da sua marca nos veículos e ferramentas utilizadas pelo seu público.

Conhecendo bem os hábitos dele (passo que você já vai ter completado lá atrás) você conseguirá entender se é interessante investir em conteúdo para social media, tv, vídeos, portais de notícia, canais alternativos e influenciadores.

11. Tenha processos bem definidos e organizados

Qualquer processo de vendas exige processos e organização e isso não é diferente na hora de programar como vender mais pela internet.

Entenda, junto com a sua equipe, quais as melhores dinâmicas, ferramentas e processos, principalmente se você pretende oferecer a jornada completa do consumidor de forma online, incluindo a transação de compra ou contratação. 

12. Fique de olho nas métricas importantes

Lembra que comentamos no primeiro passo de determinar os objetivos e criar um planejamento baseado em métricas?

Pois elas precisam ser acompanhadas para garantir o sucesso do planejamento.

Dê preferência pela escolha de KPIs (Key Performance Indicators), métricas focadas em resultados de geração de vendas e recursos para as empresas.

Recomendamos que você escolha alguns entre os 8 KPIs de Vendas e Marketing que os Líderes Querem ver no seu Dashboard.

Conclusão

Gostou das nossas dicas de como vender mais pela internet? 

Confira outros conteúdos aqui do blog e do site, com diversas informações e pesquisas que vão auxiliar a sua marca a aumentar os resultados de conversão e vendas!

Compartilhe agora!

Fernanda Andreazzi

Estrategista de conteúdo na Leadster, atua há 5 anos com Marketing Digital, Inbound Marketing, SEO - e tudo o que há de bom