Escrever sobre marketing digital para iniciantes é incrível.

Preciso começar esse texto assim porque todos nós, já veteranos, estivemos onde você está hoje – começando do zero. 

E todos nós temos aquele blog do coração onde começamos a entender os primeiros conceitos, as ideias fundamentais que guiam o marketing digital.

Esperamos que o seu seja o da Leadster 💙

Esse texto vem com uma boa dose de boas energias: que você consiga conquistar sua vaga, seu cliente ou transicionar de carreira sem grandes dificuldades.

É muito bom fazer parte da sua jornada.

Aqui você vai encontrar os principais termos de marketing digital para iniciantes, o que você precisa saber para começar seus estudos.

E da metade pra frente, algumas dicas práticas e 6 ferramentas para te ajudar no dia a dia. 

Beleza: momento emotivo concluído com sucesso. 😅

Podemos começar? 

Conceitos importantes do marketing digital para iniciantes

Bom, o primeiro passo que você precisa dar é entender os principais conceitos do marketing digital – os básicos de verdade. 

Se você vai trabalhar em uma agência, ainda na entrevista você vai se deparar com alguns desses termos. 

E se você está começando seus estudos agora, para no futuro trabalhar na área, esses termos são fundamentais para você fazer uma única aula ou ler textos mais avançados. 

Então, papel e caneta na mão – porque anotando você aprende mais – e vamos para os conceitos mais básicos do marketing digital para iniciantes: 

O que é B2B e B2C?

B2B e B2C estão relacionadas com a atuação de uma empresa, mais especificamente para quem ela vende. 

B2B significa business to business, ou seja: um negócio que vende para outros negócios. 

B2C significa business to consumeruma empresa que vende para consumidores.

Você vai encontrar essas duas siglas praticamente todo dia trabalhando com marketing digital ou estudando o tema.

É muito importante saber o que elas significam e ter a diferença na ponta da língua. 

A padaria do seu bairro é uma empresa B2C.

A loja de sapatos pela internet também.

E até empresas maiores: a Uber é B2C. 

Nós da Leadster somos B2B.

Agências de publicidade são B2B.

Profissionais de marketing autônomos também são. 

Algumas empresas vão ser os dois: a Localiza, locadora de carros, trabalha com consumidores direto no balcão e tem convênios com empresas, por exemplo. 

Existe ainda um outro termo: B2B2C.

Veja o exemplo da Amazon: quando você compra por lá, muitas vezes quem fornece o produto é outra loja, não a própria Amazon. 

Nesse caso, uma empresa fornece seu serviço para outra empresa, que revende para o consumidor final. 

O que é mix de marketing?

Todo trabalhador tem uma caixa de ferramentas.

O mix de marketing é a caixa de ferramentas do marketing moderno e contemporâneo. 

Um carpinteiro abre sua caixa de ferramentas e tira seu martelo, seus pregos e parafusos para conseguir trabalhar.

Sem esses materiais, ele não sai do lugar. 

O mix de marketing consiste nas ferramentas teóricas necessárias para uma boa estratégia de marketing.

É tudo o que garante sucesso para o marketing. 

Essas ferramentas são os 4 Ps do marketing, digital ou não: 

  • Preço: o seu nível de competitividade no mercado, quando comparado com a concorrência; 
  • Produto: a qualidade do que você oferece, comparando com a disponibilidade do mercado e o desejo dos consumidores; 
  • Praça: o local onde você anuncia e as pessoas que fazem parte dele; 
  • Promoção: o ato de promover o seu produto e seus diferenciais, a sua publicidade e marketing. 
🤿 Para ir mais fundo: Mix de marketing - o que é, quais são os 4 Ps e como aplicar

Esses 4 Ps foram publicados originalmente por Jerome McCarthy, no seu livro “Marketing Básico: uma visão gerencial”

Depois, o que McCarthy chamou de “compostos de marketing” foi citado por Philip Kotler no seu primeiro livro, “Administração de Marketing”, e se popularizou pelo mundo. 

Hoje, consideramos mais 4 Ps do marketing digital, totalizando 8 Ps: 

  • Pessoas: o maior esforço desprendido em marketing deve ser o de conhecer o seu público-alvo; 
  • Posicionamento: com mais mídias, é necessário um esforço para determinar como a marca conversa e se coloca em cada um deles; 
  • Performance: com uma grande quantidade de dados disponíveis para avaliar nosso trabalho, é importante que eles sejam acompanhados de perto para ajustes rápidos. 

O que é lead? 

Um lead é toda pessoa que deixou suas informações de contato com você de forma voluntária. 

A partir do trabalho de nutrição desse lead, você vai conseguindo mais informações sobre ele, abrindo mais possibilidades de oferecer seu produto na hora certa. 

Esse é um dos pontos mais importantes da nossa lista de conceitos do marketing digital para iniciantes. 

🔎 Leia também: Geração de leads - o guia completo

Hoje, o marketing digital está praticamente girando em torno da geração de leads e sua conversão em vendas.

Normalmente, o lead deixa seu contato para baixar algum material, se cadastrar em alguma newsletter ou receber opções de conteúdo que agreguem valor às suas rotinas. 

Deixar informações de contato com uma empresa é um gesto de muita confiança, e você precisa tratar esses leads com bastante carinho e respeito. 

Importante: LGPD - aulão completo com 11 dúvidas respondidas.

O que é um funil de marketing?

Qualquer discussão que você for ter sobre marketing digital vai envolver, de um jeito ou de outro, o funil de marketing. 

Basicamente, um funil de marketing determina estágios pelos quais um cliente passa até fazer uma compra. Ele é dividido em três níveis: 

  • Topo do funil: nesse estágio, as empresas que aplicam o funil de marketing precisam gerar visitantes no seu site e convertê-los em leads;
  • Fundo do funil: agora é hora de transformar esse lead em alguém mais perto da venda, e depois fechá-la.

Veja a imagem abaixo para entender melhor: 

O conceito de “jornada de compra” também é importante, mas é um pouco mais avançado e vamos explicar mais adiante no texto. 

Para saber mais sobre o funil de marketing, recomendo bastante esse texto mais detalhado do Gustavo aqui da Leadster – Tudo e mais um pouco sobre o funil de marketing digital.

Como determinar um público-alvo? 

“Público” é um dos Ps do marketing digital para iniciantes, lembra? 

A determinação do seu público-alvo é um dos primeiros passos de qualquer estratégia de marketing hoje.

E a sua maior preocupação, trabalhando na área, deve estar em sempre produzir o conteúdo certo para o público certo. 

Determinar um público-alvo passa por algumas etapas: 

  • Para quem a empresa quer vender;
  • Para quem o produto se adequa;
  • Quem de fato vai comprar o produto – posição na família (pai, mãe, avô etc.) ou na empresa (CEO, CMO, analista e por aí vai); 
  • Características demográficas – idade, localização, emprego, renda etc.; 
  • Características de negócio – quais são suas necessidades, medos, porque compraria seu produto etc. 

Você precisa ter todas essas informações para determinar um bom público-alvo. 

Mais ao final do texto, vamos te mostrar como algumas ferramentas de marketing trabalham exclusivamente com esse tipo de dado para gerar mais visitantes, leads e clientes. 

➡️ Por enquanto, deixe essa aba aberta no navegador: Framework de cliente ideal, persona e público alvo.

Como fazer análise de concorrência?

A análise de concorrência não é difícil de fazer e, infelizmente, não tem fórmula mágica.

Mas para dominar o marketing digital para iniciantes, você precisa pelo menos saber como começar. 

Tudo depende do seu segmento.

Se alguém te fizer essa pergunta, você responde com essa frase primeiro.

Mas os passos gerais e mais básicos da análise de concorrência são esses: 

  • Benchmarking competitivo dos sites dos seus concorrentes – o que falta? O que eles fazem bem? O que não fazer no nosso? 
  • Listagem das redes sociais dos principais concorrentes – quem são os melhores? Como eles se comunicam? 
  • Lista dos anúncios que eles fazem – o Meta (antigo Facebook) permite que qualquer pessoa veja quais anúncios outras marcas fazem. Para o Google Ads, é necessária uma outra plataforma, como o SemRush.

No digital, essas primeiras ações já vão ser o suficiente para você entender um pouco mais sobre o seu mercado.

Temos um texto que vai te ajudar a se aprofundar bem mais nisso: Público-Alvo: Como anunciar para as pessoas certas.

Conceitos mais avançados do marketing digital

Tudo certo até agora?

Esses são os conceitos mais básicos do marketing digital para iniciantes, aqueles que você simplesmente precisa saber para dar os seus próximos passos. 

Todos eles vão ser colocados à prova agora, com alguns conceitos mais aprofundados e que são grandes diferenciais para conseguir vagas melhores e novos clientes. 

Começando com o principal: 

O que é inbound marketing? 

O marketing inbound é uma metodologia criada por Dharmesh Shah e Brian Halligan, os fundadores da Hubspot, no livro “Inbound Marketing”. 

Essa metodologia de trabalho determina que os negócios não devem tomar o tempo dos clientes enviando spam por e-mail ou qualquer tipo de mensagem não solicitada.

Nisso também estão incluídos recursos muito populares do marketing tradicional, chamado de outbound: flyers, ligações para pessoas que nunca interagiram com a marca, outdoors e até propagandas na TV. 

Mas veja bem: não tem nada de errado com essas metodologias.

O inbound marketing é só uma resposta para consumidores cada vez mais exigentes e antenados com a internet. 

Na metodologia inbound, uma marca precisa trabalhar o marketing de conteúdo para atrair visitantes no seu site, e a partir daí aplicar os conceitos e ferramentas do funil de marketing. 

Temos um texto muito aprofundado sobre o inbound marketing em 2023.

Deixe aberto aí porque já vamos falar sobre uma das ferramentas mais importantes do método. 

Para começar seus estudos em marketing inbound, recomendo bastante o curso grátis oferecido pela HubSpot. 

O que é marketing de conteúdo? 

O marketing de conteúdo é um dos recursos mais utilizados no topo do funil de marketing dentro da metodologia inbound. 

Ele determina que a produção de conteúdo é o melhor jeito de atrair cada vez mais visitantes para o seu site, e esse conteúdo também é responsável por converter esses visitantes em leads e nutri-los até que a venda aconteça. 

Não há uma delimitação do que “conteúdo” significa.

Suas características vão variar conforme o seu segmento.

As mídias onde você vai publicar também são bastante variadas: 

  • Blogs
  • Redes sociais; 
  • WhatsApp; 
  • YouTube; 
  • Podcasts
  • E-books; 
  • Estudos; 
  • Cases de sucesso. 

Dentre outros. Clique aqui para um texto inteiro falando sobre marketing de conteúdo 🤓

O que é SEO e tráfego orgânico?

SEO significa otimização para motores de busca, e tráfego orgânico são os visitantes que entram no seu site “de graça”, sem nenhum anúncio que os levou até lá. 

O SEO é aplicado em páginas do seu site, e especialmente nos seus textos de blog.

Ele começa com uma pesquisa de palavras-chave, feita em ferramentas como o Google Keyword Planner e o SemRush. 

🤿 Mergulhe: Pesquisa de palavras-chave para geração de resultados

Com um SEO bem aplicado para boas palavras-chave, você tem mais chances de aparecer em boas posições no Google para ela. 

Pense em você, que digitou “marketing digital para iniciantes” no Google e encontrou esse texto.

Isso só foi possível porque nós aqui da Leadster fizemos um trabalho de SEO. 

E você ter chegado aqui espontaneamente, sem ser impactado por anúncios, classifica o seu acesso como tráfego orgânico. 

O que são as mídias pagas?

O contrário do tráfego orgânico é o tráfego pago – aquelas pessoas que chegam até o seu site via anúncios em plataformas como o Meta (antigo Facebook) e o Google Ads. 

Essas plataformas funcionam através de públicos-alvo bem definidos.

Basicamente, você seleciona para quem você quer enviar os anúncios, cria sua arte, faz o upload e define um valor a ser gasto. 

Esse valor varia de acordo com vários fatores.

Você pode acompanhar todos eles no nosso texto dedicado: 

🤿 Se aprofunde: Mídia paga: o guia completo

O que é a jornada do consumidor?

A jornada do consumidor é uma interpretação do funil de marketing sob o ponto de vista do cliente. 

Inclusive, no nosso texto sobre funil de vendas, fizemos uma pequena dramatização da jornada de compra do Robert, personagem fictício que está buscando roupas sustentáveis. 

O que a jornada faz é mostrar quais são as etapas que levam um consumidor a fazer uma compra.

Elas são as seguintes:

  • Aprendizado e descoberta: a pessoa está começando a entender algum problema que ela ainda não sabe bem qual é, mas que a incomoda. No caso do Robert, ele percebia olhares quando ia dar alguma apresentação no trabalho;
  • Reconhecimento do problema: essa pessoa entende qual é a fonte do seu incômodo. No caso do Robert, ele entendeu que os olhares eram porque suas roupas não estavam adequadas à sua posição;
  • Consideração da solução: agora, a pessoa está pensando diretamente no produto que vai solucionar o seu problema. Quais são suas características? Qual a faixa de preço? Quais são suas funcionalidades? 
  • Decisão de compra: uma vez que tudo isso for decidido, a pessoa decide por fazer a compra com quem mais atingiu suas expectativas. 
🔎 Leia também: 12 tendências de marketing digital para explorar em 2023

Como fazer uma campanha de marketing digital?

Esses são os principais conceitos do marketing digital para iniciantes que você precisa saber antes de se aventurar nessa carreira. 

E não importa qual vai ser a sua área de atuação: autônomo, freelancer, em agência ou no marketing de alguma empresa – esses conceitos são fundamentais. 

E outro conhecimento bastante importante que você precisa ter é o de como fazer a sua primeira campanha digital. 

Muitas empresas pedem até mini campanhas de marketing para o lançamento de algum produto fictício para testar os seus conhecimentos. 

Conhecer é importante.

Veja um passo a passo simples para começar o seu trabalho: 

1 – Análise competitiva

É o primeiro passo que você precisa dar para fazer a sua campanha, não importa para qual finalidade – uma campanha simples ou um planejamento anual inteiro. 

A análise competitiva é feita observando os indicadores que você tem disponíveis sobre a sua própria marca, quais são os seus objetivos de longo prazo, como esses dados se relacionam com os objetivos e qual é a situação do mercado hoje. 

É importante aqui também fazer uma análise de concorrência para entender como as outras empresas do seu segmento estão trabalhando, para buscar inspirações. 

Com isso tudo resolvido, você vai ter uma boa noção de onde sua marca se encaixa no mercado, e vai conseguir guiar seus esforços com mais garantias. 

2 – Redação

O que sua campanha vai conter?

Depois de planejar, você precisa fazer os primeiros esboços. 

Dependendo da sua área de atuação, você não vai precisar escrever nada.

Designers, por exemplo, precisam entender como lidar bem com redatores.

Gestores de projeto e analistas vão precisar saber quais são as necessidades dos redatores, o que eles precisam para escrever o melhor texto possível – normalmente um bom briefing. 

Se você estiver fazendo um planejamento anual, a história é um pouco diferente.

Você vai precisar produzir as primeiras peças para que a diretoria entenda qual é o ponto, e então aprovar o que você planejou. 

3 – Criação

Essa é a etapa dos designers – eles precisam trabalhar em conjunto com os redatores e social medias para criar as peças. 

É importante entender essa etapa porque normalmente ela é a que tem o maior volume de trabalho e refações, e como estamos falando sobre marketing digital para iniciantes, talvez você não esteja preparado para essa rotina. 

Durante a criação as coisas tendem a ficar mais frenéticas em um departamento de marketing ou agência. É importante saber lidar com elas para conseguir realizar o melhor trabalho possível. 

4 – Lançamento 

A próxima etapa de um planejamento de marketing é o lançamento do que você planejou.

Isso soa mais fácil do que realmente é, e você vai precisar conhecer algumas plataformas fundamentais. 

Falamos mais sobre elas logo abaixo.

Vamos logo continuar? 

6 ferramentas de marketing digital obrigatórias de conhecer

Bom, continuando a conversa sobre o lançamento, trouxemos algumas ferramentas básicas de publicação que você precisa conhecer. 

E algumas outras relacionadas ao dia a dia do seu trabalho.

Vamos começar com as mais fundamentais: um CMS (WordPress), o Google e a Meta: 

WordPress – o CMS

CMS é um tipo de software capaz de organizar todo o conteúdo de um site.

Para lançar um blog, por exemplo, você vai precisar de um CMS configurado. 

Para adicionar uma nova página no seu site, também. 

O CMS mais utilizado hoje é o WordPress.

Ele é gratuito e open source, e oferece uma enorme variedade de plugins muito simples de instalar. 

Dominar o WordPress por completo não é necessário para quem está aprendendo sobre o marketing digital para iniciantes.

Mas você precisa desde já entender como fazer publicações simples em blogs. 

Esse vídeo vai te ajudar bastante: 

Meta – o antigo Facebook

Você também vai precisar começar a estudar como funcionam os posts patrocinados nas diferentes plataformas do Meta: Facebook, Instagram, stories do Instagram e Reels do Instagram. 

Mas não se preocupe: esse trabalho é mais especializado, e não entra tanto no marketing digital para iniciantes. 

O que você vai precisar saber bem são questões como o horário das postagens, como lidar com vários perfis salvos em um mesmo celular, como funciona a autenticação de dois fatores e questões mais simples assim. 

Ferramentas do Google

O Google tem uma série de ferramentas de marketing gratuitas para quem usa a plataforma para anunciar e gerar tráfego orgânico no site. 

Não há requisitos: todo mundo pode usar.

Só o Google Ads, plataforma de disparo, cobra por anúncio, mas isso é mais do que esperado.

Vou deixar alguns links aqui que falam mais sobre as quatro principais ferramentas que ele oferece. 

A mais importante para quem está pesquisando sobre marketing digital para iniciantes é de longe o Google Analytics. 

Através do Google Analytics você consegue acompanhar a performance do tráfego do seu site, tanto o orgânico quanto o pago. 

Com ele, você tem informações como quantas pessoas acessaram cada página do seu site no período que você quiser (inclusive em tempo real), quanto tempo elas passaram lendo essas páginas e se, depois de ler, elas continuaram no site. 

Expandindo o trabalho do Google Ads temos o Google Search Console.

A ferramenta é muito robusta e mostra dados que relacionam as suas páginas com a posição que elas atingem no Google. 

Plataformas para disparo de e-mail

O e-mail marketing é parte da estratégia de marketing inbound, e consiste em manter um relacionamento com seus leads através de automações de e-mail. 

O trabalho de construir as automações também é bastante especializado, e ninguém vai esperar que você os domine em uma posição júnior. 

Mas ao mesmo tempo, conhecer as plataformas e como elas funcionam é uma ótima ideia.

O Mailchimp e a LeadLovers são as principais do mercado hoje.

Vale a pena assistir alguns vídeos para se familiarizar com o básico da ferramenta. 

🔎 Leia também: As 16 melhores ferramentas de e-mail marketing

Plataformas de marketing inbound

No Brasil, a maior plataforma de marketing inbound do mercado é a RD Station.

Através dela, você consegue criar automações para todas as etapas da jornada do consumidor e do funil de marketing. 

Dominar a RD Station é um trabalho que vai longe, mas é interessante começar a dar seus primeiros passos agora que você está pesquisando sobre o marketing digital para iniciantes. 

O que a plataforma faz é simples mas é bem necessário: 

  • Organização de leads por qualificação; 
  • Integrações com o Meta para análise de performance e indicativo de conversões; 
  • Criação de fluxos de nutrição; 
  • Criação e disparo de e-mails; 
  • Criação de landing page para captação de leads; 
  • Integração com o Google Analytics para acompanhamento de tráfego; 

Dentre várias outras funcionalidades super interessantes e necessárias na rotina de quem trabalha com o marketing. 

Mas é como eu disse: você precisa conhecer o básico.

Saber o que a plataforma consegue oferecer.

Não é necessário ser um especialista imediatamente. 

🔎 Leia também: 19 melhores ferramentas de automação de marketing

Plataformas de chatbot

O marketing conversacional é uma das maiores tendências do marketing digital hoje.

Iniciantes ou não, vale muito a pena conhecer mais sobre a metodologia e as ferramentas que a possibilitam: especialmente os chatbots. 

Uma plataforma de chatbots adiciona um pequeno balão no seu site, onde seus visitantes podem interagir para baixar materiais ou solicitar um atendimento imediato. 

O melhor dos chatbots é que eles funcionam 24 horas por dia, 7 dias na semana. Não tem final de semana pra robô. 🤖

Para entender mais sobre as plataformas e o que elas entregam, recomendo nosso texto mais aprofundado sobre o assunto

Ou acesse direto nosso site e faça um teste grátis só pra ver como funciona na prática! 

E aí, tudo certo?

Espero que você tenha conseguido extrair informações muito importantes sobre o marketing digital para iniciantes desse texto. 

Todos nós do marketing adoramos ajudar, porque nós mesmos fomos ajudados por textos como esse. 

Pra gente continuar nesse tom do final do texto, te convido a conhecer a metodologia de marketing que está mudando e muito o mercado: o marketing conversacional. 

Conhecer sobre ele é um diferencial em qualquer agência ou departamento de marketing.

Vamos para a leitura?

Vou ficar te esperando.

Um abraço e até o próximo texto.

Categorias: Marketing digital

Fernanda Andreazzi

Estrategista de conteúdo na Leadster. Atua há 5 anos com Marketing Digital, Inbound Marketing, SEO - e tudo o que há de bom

1 comentário

Sabrina · 23 de fevereiro de 2023 às 13:39

Ótima explicação. Foi clara e objetiva. Será de grande valia para meu começo. Obrigada!!!

Deixe um comentário

Avatar placeholder

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *