Vendas complexas, como as B2B, precisam atrair o público certo para serem concretizadas.

E os investimentos em marketing potencializam os resultados de vendas, auxiliando o trabalho do departamento comercial ao gerar contatos qualificados e oportunidades de negócio.

Dentre as alternativas e tipos de estratégia, algumas se destacam e são aplicadas hoje por diversas empresas e setores.

Inbound ou Outbound Marketing podem ser as soluções que você procura para atrair tráfego, gerar leads e melhorar os resultados da sua empresa.

Saiba mais sobre as diferenças entre essas duas metodologias e entenda qual é a melhor opção para o que você deseja.

O que é Inbound Marketing?

O Inbound Marketing, também chamado de Marketing de Atração, é uma metodologia que propõe, como o nome diz, atrair consumidores em potencial através do oferecimento de conteúdo relevante para as personas da marca. 

Ao invés de interromper o conteúdo, como acontece com o marketing tradicional, o Inbound Marketing se propõe a ser o próprio conteúdo

Como funciona o processo Inbound?

O objetivo do Inbound Marketing é atrair visitantes e gerar leads através da oferta de conteúdos, para então gerar relacionamento, nutrição e qualificação destes leads, direcionando-os através do funil de vendas

No processo Inbound, a marca atua como solucionadora de problemas, até identificar aqueles leads qualificados ou oportunidades que podem gerar vendas.

Os contatos mais propensos a fechar negócio e com maior interesse na solução oferecida, são então repassados para o time de vendas entrar em ação.

Para quem é recomendado o Inbound Marketing?

Por se tratar de uma metodologia quase que completamente focada no ambiente online, o Inbound Marketing pode ser muito interessante para empresas que têm um orçamento de marketing mais restrito.

De acordo com uma pesquisa da Hubspot, o Inbound pode ser até 62% menos custoso do que o Outbound Marketing – além de oferecer um ROI de 275% a longo prazo. 

Essa estratégia também é interessante para quem precisa de métricas facilmente mensuráveis e que tem uma disponibilidade maior de tempo para colher os resultados.

Se a marca também tem muitos contatos, mas que estão desqualificados, o Inbound também pode ser uma excelente opção para trabalhar a nutrição e qualificação desses leads.

Exemplos de ações de Inbound Marketing

A metodologia de Inbound Marketing pode ser aplicada através de diversos tipos de ações e canais, sempre pensando em todas as etapas da jornada de vendas do consumidor.

Alguns exemplos são:

  • SEO: o SEO engloba um conjunto de técnicas, aplicadas à estrutura e aos conteúdos das páginas publicadas. É esse tipo de estratégia que procura fornecer um bom posicionamento nas pesquisas realizadas em plataformas de busca, como o Google, levando o que é chamado de tráfego orgânico para o site. 
  • Blog: os blogs são uma forma de mostrar aos visitantes o tipo de conteúdo a marca pode oferecer, despertar interesse sobre os temas abordados e aproveitar a busca orgânica para geração de tráfego. Produzindo páginas e conteúdos alinhados com as regras da busca orgânica, suas chances de atrair a atenção de visitantes para as suas páginas são muito maiores.
  • Materiais Ricos: a oferta de materiais ricos é a principal forma de geração de leads dentro do Inbound Marketing, como forma de fornecer aos leads informações que vão ajudá-los a se educar sobre o problema que têm e entender que tipo de solução é a ideal para isso. Esses materiais podem ser de diferentes formatos, profundidades e abordagens, dependendo da fase do funil que o lead se encontra. Alguns exemplos são: e-books, infográficos, vídeos, webinars, planilhas, calculadoras, demonstrações, testes gratuitos, etc.
  • Social Media: as redes sociais também fazem parte da estratégia de Inbound Marketing, tanto na criação de conteúdo próprio para cada plataforma, como na distribuição e divulgação de conteúdos como blog posts e materiais ricos.
  • E-mail Marketing: com o e-mail marketing você pode utilizar a rede de contatos que você já tem para oferecer os materiais e ofertas criadas e assim qualificar os leads, além de criar fluxos de nutrição depois das conversões de novos leads, para assim direcioná-los através do funil de vendas.
  Você também pode gostar - 7 Passos para Criar uma estratégia de E-mail Marketing que Converte

O que é Outbound Marketing?

O Outbound Marketing ou Marketing de Interrupção é uma forma mais tradicional de divulgação de marcas e empresas.

Ele leva esse nome pois interrompe o conteúdo que está sendo consumido para apresentar soluções e marcas para o consumidor em potencial.

Com dinâmica mais proativa, o outbound engloba as mídias mais tradicionais com publicidade em rádio, TV, outdoors e materiais impressos.

Com a evolução do marketing digital, também existem muitos formatos e ferramentas de Outbound Marketing que podem ser explorados neste contexto. 

Como funciona o processo Outbound?

O objetivo do Outbound Marketing é gerar receita e escalar o negócio de forma rápida, ao apresentar as soluções da marca para um grande volume de consumidores.

O outbound também é uma excelente forma de prospectar clientes, podendo ser aplicado a nichos mais específicos ou em situações que reúnem público qualificado e alinhado com as soluções oferecidas, como apresentaremos em breve.

No processo Outbound, o papel do comercial é mais ativo, demandando uma equipe mais robusta e com mais tempo para a qualificação de leads e prospecção de clientes.

Para quem é recomendado o Outbound Marketing?

Para aquelas empresas que querem um resultado mais rápido e que também possuem uma possibilidade de investimento mais pesada, o Outbound é uma opção interessante.

Esse tipo de estratégia também é válido para empresas que têm necessidade de gerar leads que já estão mais maduros para o momento de compra ou de fechamento de negócio, lembrando que esse tipo de marketing exige uma equipe comercial com mais vendedores, que precisam fazer a prospecção ativa e follow-up dos contatos gerados.

Exemplos de ações de Outbound Marketing

Com modelo de comunicação mais massificada, o Outbound também pode ser desenvolvido através de uma série de estratégias e ações.

Destacamos algumas aqui:

  • Mídia paga: uma das formas mais tradicionais de outbound é a publicidade. Ela pode ser feita no contexto offline (com anúncios em rádio, TV, mídia outdoor, revista, jornais, etc.) e online (tráfego pago com campanhas de mídia em redes sociais, campanhas de links patrocinados, rede de display, etc.).
  • Prospecção comercial: a prospecção na dinâmica outbound é fundamental para o sucesso do negócio, uma vez que atinge as pessoas certas, traz qualificação de contatos, direciona para onde os times devem dedicar tempo e esforço, acelera o ciclo de vendas e gera oportunidades de negócio. Ela tem como objetivo criar esse relacionamento entre duas empresas e normalmente acontece de forma ativa, quando a equipe comercial vai atrás de novas possibilidades de fechamento de vendas.
  • Cold Calling: as chamadas frias são os contatos realizados através de telefone. Elas possibilitam estabelecer um contato mais pessoal do que outros canais e aceleram o processo de qualificação. Esse é um método tradicional, mas que não perde espaço por ser altamente eficaz — 54% dos compradores informaram que a última reunião marcada para compra ou contratação foi marcada através de um contato telefônico com o vendedor. (Fonte: InsideSales).
  • Social Selling: Social Selling significa utilizar as redes sociais para se conectar com consumidores em potencial. Ela envolve estratégias tanto de contato individual quanto de anúncios voltados para essa finalidade. 
  • Outbound E-mail: também chamado de cold mail, é uma forma alternativa às ligações por telefone, mas também tem o objetivo de criar relacionamento, despertar interesse e gerar oportunidades de negócio para o time comercial, sobretudo com a marcação de reuniões e follow-up.

Inbound ou Outbound Marketing: Qual é melhor para geração de leads B2B?

Então, vale mais a pena investir em Inbound ou Outbound Marketing?

A resposta não é tão simples.

É preciso analisar os pontos citados aqui no post sobre para quem cada metodologia é interessante, principalmente levando em conta as características de cada tipo de método e os objetivos da marca.

Fatores como o tempo disponível, o perfil do público-alvo, o timing de investimento, as metas definidas para geração de leads e de vendas, o ROI pretendido e os métodos disponíveis para o trabalho do marketing devem ser levados também em consideração.

Mas mais importante do que escolher entre uma e outra é levar em consideração que os melhores resultados podem ser extraídos da combinação dessas duas metodologias.

Elas podem trabalhar muito bem juntas, se complementando. 

Dois exemplos de marcas que trabalham muito bem a combinação de Inbound e Outbound, investindo em conteúdo de qualificado, nutrição e relacionamento próximos com clientes, além de investimento em mídia paga e prospecção ativa são a RD Station, plataforma de automação de marketing, e a Pantys, marca de produtos do universo feminino.

No setor B2B, uma outra estratégia que vem ganhando mais relevância é o Account Based Marketing (ABM), uma estratégia que, de certa forma, une inbound e outbound.

Essa estratégia funciona através da seleção de contas específicas (empresas como alvos) e trabalho de marketing e comercial focado na conversão destas oportunidades de negócio.

As campanhas criadas são pensadas para cada um desses alvos, de forma extremamente personalizada.

  Leia mais - 13 Diferenças de Vendas B2B e B2C e como Otimizar sua Estratégia

Feiras e eventos também se encontram no meio do caminho, porque envolvem um esforço ativo para estar onde os clientes estão, mas é preciso se destacar no meio da multidão com criatividade e conteúdo interessante para atrair os possíveis clientes.

E aí, gostou do conteúdo do post?

Compartilhe nos comentários suas experiências e resultados com cada uma dessas metodologias! 

Compartilhe agora!

Fernanda Andreazzi

Estrategista de conteúdo na Leadster, atua há 5 anos com Marketing Digital, Inbound Marketing, SEO - e tudo o que há de bom